ONG lança documentário que ouve moradores em situação de rua em Porto Alegre

postado em: Direitos Humanos | 0

ONG Centro Social da Rua apresenta o documentário “Cidadãos da Rua: Eles têm voz”. O filme já teve uma sessão especial de pré-estreia, realizada no dia 28 de agosto (Dia do Voluntariado), em evento presencial e fechado para a população de rua, trabalhadores da assistência social, voluntários e imprensa.

O longa de 72 minutos mostra a trajetória de cinco pessoas que se encontram em situação de rua em Porto Alegre: um idoso, uma transexual, um jovem, um homem e uma mulher. O objetivo é dar visibilidade para uma realidade de cidadãos que querem sair das ruas, mas sozinhos não conseguem encontrar o caminho.

O documentário tem direção de Tatiana Sager, roteiro de Renato Dornelles e montagem de Gabriela Paschoal. Quatro sessões abertas de pré-estreia serão realizadas nos dias 9, 14, 21 e 28 de setembro. As exibições serão gratuitas e online através do canal do filme no Youtube. Após cada apresentação, um tema será debatido ao vivo com autoridades e profissionais da área jurídica, saúde e assistência.

A obra cinematográfica traz depoimentos de personagens que já estiveram nesta mesma condição, e que hoje falam como conseguiram superar as dificuldades e sair das ruas. O projeto é inspirado na pesquisa amostral realizada pela ONG em dezembro de 2020, no primeiro ano de pandemia. Na ação, mais de 800 pessoas em situação de rua e vulnerabilidade social da Capital foram entrevistadas, dando um panorama mais atual deste cenário.

Para Letícia Andrade, coordenadora geral da ONG, o longa chega para reforçar a importância e a urgência do debate sobre a realidade da população de rua no país: “Essas pessoas precisam ter voz ativa na sociedade, principalmente para falarmos sobre temas necessários como o direito à moradia, fome, trabalho, violência e drogas. Queremos evidenciar os maiores problemas da rua com a voz de quem vive nela”.

O filme é uma realização do Centro Social da Rua, com patrocínio da empresa Vipal Borrachas e financiamento do Pró-Cultura e do Estado do Rio Grande do Sul, na cidade de Porto Alegre.

Edição: Katia Marko/Brasil de Fato RS

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.