Votação do PEC do voto impresso e desfile militar com participação de Bolsonaro

Hoje (10), está prevista a análise da proposta de emenda à Constituição (PEC) do voto impresso no plenário da Câmara, conforme reafirmou o presidente da Câmara, Arthur Lira. O relatório favorável à proposta tinha sido derrotado na comissão especial na semana passada. A impressão do voto é veementemente defendida pelo presidente Jair Bolsonaro, que suspeita o voto eletrônico de fraude, mas nunca apresentou comprovações de suas alegações. 

De acordo com o jornal Folha de São Paulo, os apoiadores do presidente têm intenção de pressionar os parlamentares para que eles aprovem o texto. O próprio chefe do Executivo fez um discurso defendendo a emenda. Ele mobilizou militares para pressionar a Câmara e convocou eles para realizar um desfile de blindados da Marinha e armamentos nesta terça-feira (10). O ministro da Defesa, Walter Braga Netto, também deve participar do ato. Os deputados reagiram ao anúncio e o interpretaram como provocação e tentativa de intimidação do plenário.Adicionalmente, na noite desta segunda-feira (9), a comissão especial da Câmara aprovou algumas mudanças na legislação eleitoral.

O objetivo do texto-base é introduzir o chamado distritão misto nas eleições seguintes para deputados federais, estaduais e vereadores. No âmbito desse sistema, não haverá necessidade de delimitar distritos eleitorais pelo TSE, já que a própria unidade federal será o distrito eleitoral.

O projeto prevê a volta de coligações partidárias e a possibilidade de votar em até cinco candidatos a presidente, governador ou prefeito, em ordem de preferência, a partir de 2024. O texto foi aprovado por 22 votos a favor e 11 contra e será encaminhado para votação no plenário na quinta-feira (12).

Fonte: Sputnik News

Imagem: Sputink News

Deixe uma resposta