Governo mantém todo o RS em bandeira preta pela 6ª semana consecutiva

O governo do Rio Grande do Sul anunciou no final da tarde desta sexta-feira (2) que as 21 regiões do Estado permanecerão sob bandeira preta na 48ª rodada do modelo de Distanciamento Controlado, que irá vigorar entres os dias 6 e 12 de abril. Com isso, será a sexta semana consecutiva que todo o Estado estará sob a mais alta classificação de risco do modelo estadual de enfrentamento à covid-19.

O governo anunciou que a decisão já é definitiva, o que significa que, nesta semana, não há possibilidade de regiões e municípios apresentarem recursos ao mapa. Também está suspensa a Regra 0-0, a partir da qual municípios sem registro de óbito ou hospitalização de moradores nos últimos 14 dias poderiam adotar protocolos de bandeira imediatamente inferior. Por outro lado, a cogestão regional está permitida, o que permite que municípios adotem protocolos de bandeira vermelha.

O governo destacou que, dos 11 indicadores levados em conta no modelo, o que apresentou piores resultados foi o de número de mortes, que cresceu 16% entre uma semana e outra – de 1.824 para 2.124. É o maior registro de mortes em uma única semana desde o começo da pandemia.

Além disso, a ocupação dos leitos de UTI por pacientes de covid-19, apesar de ter caído 4% na semana, segue próxima a 100%. No final da tarde desta sexta, estava em 98%. “A ocupação próxima a 100% indica forte pressão sobre o sistema hospitalar, e isso significa que a operação segue acima da capacidade indicada em algumas regiões do Estado. Ou seja, quem precisar de atendimento ainda encontrará uma rede hospitalar lotada”, diz nota do governo do Estado.

Por outro lado, a semana registrou registrou resultados positivos em alguns dos indicadores. O número de casos ativos reduziu 22% no período (de 90.676 para 70.361). O número de internados em leitos clínicos com Covid-19 no RS reduziu 20% entre as duas últimas quintas-feiras (de 4.706 para 3.743).

O governo destaca ainda que, pela média dos indicadores, as 21 regiões estariam sob bandeira vermelha na próxima semana, mas que a bandeira preta foi aplicada devido ao acionamento da salvaguarda estadual, que leva em consideração a razão de leitos livres de UTI sobre leitos ocupados por pacientes de covid-19 em UTI. Quando a razão estiver menor ou igual a 0,35 a nível estadual, a salvaguarda é acionada, e se sobrepõe a todas as outras regras.

A nota do governo explica que o ajuste no modelo foi considerado necessário porque, quando a capacidade hospitalar está próxima do limite, alguns dados podem sofrer atrasos de preenchimento devido à sobrecarga das equipes e, além disso, os indicadores de “velocidade do avanço” e de “variação da capacidade de atendimento” se tornam prejudicados – uma vez que, mesmo havendo demanda por leitos, podem não ser preenchidos devido à lotação das áreas covid dos hospitais.

Para o Feriadão de Páscoa, o governo decidiu autorizar a abertura de atividades não essenciais, como comércio e restaurantes, no sábado entre 5h e 20h. Para restaurantes, bares e lancherias, o horário limite para atender clientes de forma presencial é 18h.

Para os supermercados, o limite de funcionamento é 22h em qualquer dia da semana. Todos os serviços podem operar em modo delivery (tele-entrega). As atividades essenciais, como farmácias, clínicas médicas, postos de combustíveis, entre outros, não têm restrição de horário.

Fonte: Sputink News

Imagem: Sputink News

Deixe uma resposta