PANDEMIA E REFLEXOS DO DESCASO ( Por Álvaro Barcellos)

Há mais de um ano, começava a pandemia. E todas suas consequências – necessidade de cuidados especiais, uso de máscaras, reforços de higienização – e frente à quebradeira, desemprego e desamparo, a posição do governo de Jair Bolsonaro foi basicamente a mesma: descaso.

Tudo começou quando Jair resolveu seguir, não por acaso, os passos de Donald Trump, para quem já chegou a bater continência (??????). Tanto Trump lá, quanto Jair aqui, tinham o mesmo bizarro comportamento público: desdenhavam do suposto mimimi das famílias que perdiam seus entes queridos, chamavam a Covid-19 de gripezinha e saíam irresponsavelmente às ruas sem máscara e fazendo questão de apertar a mão das pessoas. 

Estados Unidos e Brasil, com os péssimos exemplos de seus mandatários, se revezavam em recordes negativos e número de vítimas e mortos.

Os cadáveres iam se acumulando por aqui (por lá, com a derrota de Trump, o tratamento da pandemia passou a ser muito mais responsável). Mesmo com os assombrosos números de mortes, Jair permanecia desdenhando e tentando diminuir o impacto da Covid-19, que vem vitimando e matando pessoas em enorme quantidade. E trazendo insegurança e sofrimento e dor entre familiares e amigos das vítimas. As coisas só pioraram, na medida em que jovens de trinta e poucos anos, e até crianças, vem também sucumbindo frente ao Covid-19.  

O quadro atual mostra que o Brasil – que conta apenas com 2,8 % da população mundial,  já chegou a registrar quase 25% das mortes por Covid-19 no mundo. Ou seja, um em cada 4 vítimas fatiais no mundo é do Brasil. Não por acaso, 133 países já não querem receber brasileiros em seus territórios. Viramos motivo de vergonha mundial.

Se somarmos tudo isso à suba bárbara dos preços em geral (da gasolina, do gás, da cesta básica…) começaremos a entender melhor as razões pelas quais começa a despencar finalmente a estranha popularidade de Jair. Várias pessoas em redes sociais e outras mídias e frentes, vem espontaneamente a público admitir sua forte decepção e arrependimento de seu voto. Jair perde fôlego.

Na última semana, chegou a insinuar qualquer coisa sobre o peso da ciência e também da importância da vacina.

Pelo sim, pelo não, devemos permanecer alertas, lutando pela vida e pela vacinação, evitando aglomerações, utilizando responsavelmente máscara, lavando bem as mãos com água e sabão, usando álcool gel, reforçando higienização de compras, e tendo sempre em mente que a ignorância e a intolerância andam sempre abraçadas. E são grandes inimigas da vida e da humanidade.   

Fonte: Álvaro Barcellos é Colunista e apresentador da RádioCom Pelotas.

Imagem: Internet

Deixe uma resposta