Bolsonaro anuncia troca do presidente da Petrobras e indica general para o cargo

O anúncio da indicação foi feito pelo presidente por meio de suas redes sociais em nota atribuída ao Ministério de Minas e Energia.

O general  Joaquim Silva e Luna, indicado para comandar a Petrobras, é o atual diretor da usina binacional de Itaipu e foi ministro da Defesa durante o governo do ex-presidente Michel Temer. Uma vez confirmada a indicação, Luna e Silva se tornará o primeiro militar a assumir a liderança da Petrobras desde 1988. O atual presidente da petrolífera, Roberto Castello Branco, também foi indicado por Bolsonaro, ainda em 2018.

confirmação da substituição precisa ainda do aval do Conselho de Administração da Petrobras, que tem reunião ordinária prevista para a próxima terça-feira (23). O órgão administrativo tem 11 membros, dos quais sete são indicações da União, três são de acionistas minoritários e um é indicado pelos trabalhadores da Petrobras.

Diante de recentes altas consecutivas nos preços dos combustíveis, Bolsonaro tem demonstrado insatisfação com a direção da empresa. Na quinta-feira (18), o presidente brasileiro já havia ameaçado realizar intervenções da petrolífera e zerar os impostos dos combustíveis e do gás de cozinha. Após as ameaças, as ações da Petrobras registraram queda.

Petroleiros dizem que troca só adianta se política de preços for alterada

Em nota enviada à Sputnik Brasil pela Federação Única dos Petroleiros (FUP), a entidade afirma que a mudança na direção da empresa gera dúvidas, mas pode ser uma chance de retomada do papel da Petrobras como motor de desenvolvimento do país, desde que a política de preços seja alterada.

“De nada adianta a mudança na cadeira, se não houver mudança na política de preços desastrosa”, disse o presidente da FUP, Deyvid Bacelar, em nota.

A entidade também classifica a gestão de Roberto Castello Branco como desastrosa, criticando a manutenção da política de preços atrelada ao mercado internacional e a venda de ativos da empresa, sendo a mais recente a da refinaria Landulpho Alves, na Bahia. Segundo a entidade, a refinaria foi vendida muito abaixo de seu valor de mercado e lamenta a pressa do negócio em meio a um momento de pandemia e crise econômica.

Fonte: Sputnik News

Imagem : Sputnik News

Deixe uma resposta