MAIS 10 PESSOAS PERDEM A VIDA EM PELOTAS PELA COVID-19

Os números divulgados pela Vigilância Epidemiológica da Secretaria Municipal de Saúde (SMS) chamam a atenção pela curva ascendente.

Apesar dos lentos esforços da prefeitura, com as medidas adotadas para frear o contágio não surtem efeito. Nem mesmo as mais rígidas, de restrição a alguns setores da economia e circulação de pessoas.

MORTES – No sábado, oito mortes foram registradas. São elas:

– Homem, de 68 anos, internado em UTI da Beneficência Portuguesa;

– Mulher, de 84 anos, internada em UTI do Hospital-Escola (HE) da UFPel;

– Homem, de 65 anos, internada em UTI do HE-UFPel;

– Homem, de 65 anos, no Centro Covid;

– Mulher, de 65 anos, na UPA Areal;

– Mulher, de 83 anos, na UPA Areal;

– Homem, de 87 anos, internado em UTI do HE-UFPel

– Mulher, de 79 anos, internada na Enfermaria da Beneficência Portuguesa.

No domingo, mais duas pessoas perderam a vida para o covid-19:

– Mulher, de 96 anos, em domicílio;

– Mulher, de 53 anos, internada em UTI do Hospital Universitário São Francisco de Paula.

Comércio não essencial foi autorizado a funcionar

Ainda assim, com esse descontrole sobre a doença, a Prefeitura de Pelotas publicou um novo decreto, na sexta-feira (18). Atividades não essenciais poderão funcionar neste domingo (20) e na segunda-feira (21), mas deverão fechar entre os dias 25 e 28 de dezembro. Festas de Natal e de Ano Novo, públicas, estão proibidas, sendo restritas apenas a celebrações entre núcleo familiar.

Aprefeita Paula Mascarenhas afirmou que a proposta de alteração no funcionamento, sobretudo do comércio – trocar o fechamento no domingo e na segunda-feira para três dias após o dia 25 -, foi apresentada pelo Sindilojas ao Comitê de Enfrentamento nesta semana.

“A alteração foi debatida, longamente, entre os integrantes. A maioria dos membros do Comitê, tanto os representantes do empresariado quanto da Ciência, foi favorável a essa proposta e, com isso, lançamos o novo decreto. A ideia é conter as aglomerações, o movimento das pessoas e a gente espera que, dessa forma, com três dias de fechamento após o Natal, possamos refrear isso e, consequentemente, diminuam as internações”, explica a gestora municipal.

População descumpre decreto que proíbem permanecer em locais públicos

PERFIL DOS INFECTADOS

Os profissionais da saúde seguem sendo a categoria mais atingida pelo vírus. Do total, 13,96% não informou a área de atuação.

Segundo o levantamento, este grupo contabiliza 1.831 casos até a quinta-feira (17). Em segundo lugar aparecem os profissionais da saúde, com 1.492 positivos (11,38%).

Aposentados (10%), comerciários(as)/atendentes (9,88%) e estudantes (8,8%) aparecem em terceira, quarta e quinta posição, respectivamente. Confira as categorias com mais infectados:

Não informado – 1.831 casos;

Profissional da saúde – 1.492 casos;

Aposentado(a) – 1.311 casos;

Comerciário(a)/atendente – 1.296 casos;

Estudante – 1.154 casos;

Dona de casa – 750 casos;

Administrador(a)/empresário(a) – 371 casos;

Profissional do transporte – 359 casos;

Prestador de serviços – 357 casos;

Construção civil – 330 casos;

Desempregado(a) – 322 casos;

Profissional da educação – 320 casos;

Autônomo(a) – 292 casos;

Profissional da segurança – 292 casos;

Profissional do ramo alimentício – 289 casos;

Serviços administrativos – 282 casos;

Servidor público – 220 casos;

Profissional da indústria – 215 casos;

Doméstica – 177 casos;

Criança sem idade escolar – 167 casos;

Profissional da estética – 147 casos;

Advogado(a) – 141 casos.

Já as áreas de atuação que representam menos de 1% do total de contaminados são: Profissional rural, engenheiro mecânico, cuidador de idosos, corretor(a) de imóveis, porteiro, bancário(a), profissional do esporte, profissional da tecnologia, profissional da comunicação, eletricista, farmacêutica, dentista, psicólogo/psiquiatra, contador, veterinário, babá, técnico de telecomunicações, música, profissional portuário, técnico de informática, costureira, líder religioso, nutricionista, pescador, pesquisador, economista, biólogo e jardineiro.

A EPIDEMIA POR BAIRROS

A região das Três Vendas foi a localidade com maior aumento de moradores infectados na última semana.

Enquanto o levantamento anterior indicava que 21,2% do total de casos de Pelotas residiam nas Três Vendas, o atual aponta 21,7%, um aumento de 0,5%. O bairro Fragata segue com o maior índice, 23,1% dos infectados.

O Areal aparece em terceiro lugar, com 19,8%, e o Centro em seguida, com 17,8%. Os bairros com menos de 10% do total de infectados são: São Gonçalo (8,7%), Laranjal (4,7%), Zona Rural (1,6%) e Barragem (1%). Aqueles que não informaram endereço de residência representam 1,6%.

Novos casos

Com os registros deste domingo, Pelotas chega a 13.543 infectados pelo vírus. Desses, 9.370 são consideradas recuperados e 3.928 estão em isolamento, além dos 245 óbitos registrados.

A SMS aguarda os resultados de 1.416 exames que estão no Lacen/RS, na Unidade de Diagnóstico Molecular Covid-19 HE/UFPel e, também, em análise pelo programa Testar RS.

Hospitalizados

Até as 12h30min deste domingo, 112 pacientes estavam internados (moradores de Pelotas, internados em Pelotas e transferidos para outras cidades, além de residentes de outros municípios). Deste total, 35 encontram-se em leitos de UTI.

Fonte: Prefeitura de Pelotas e DM

Imagem: Arquivo Internet

Deixe uma resposta