VOLTA ÀS AULAS EM PLENA PANDEMIA? ( Por Álvaro Barcellos )

Leio que o governo estadual cogita o retorno das atividades escolares, inclusive com aulas presenciais.

A polêmica que se estabelece a partir dessa pretensão de Eduardo não tem exatamente uma motivação política, embora haja sim componentes ideológicos no debate. O que está em jogo é de um lado uma suposta preocupação com o Aprendizado Escolar imediato (e o ano letivo) e de outro a VIDA.

Há uns dois meses, os Estados Unidos experimentaram em algumas regiões a retomada das aulas presenciais. O resultado foi um retumbante desastre – com uma explosão de novos casos de contaminação, com várias MORTES de pais, tios e avós dos alunos e uma grande AFLIÇÃO e insegurança de toda a Comunidade Escolar.

A Espanha, pouco depois, também ensaiou um retorno das aulas. Novamente, o número de casos  foi a tal ponto alarmante, e também com várias mortes de familiares, que a consequência não poderia mesmo ser outra que não a DESISTÊNCIA da retomada – como já acontecera nos Estados Unidos.

Definitivamente, não vivemos um período normal – muito menos tranquilo. Está mais do que provado que o ISOLAMENTO Social, somado a outras medidas e recomendações do Protocolo de Segurança, é que pode minimizar os riscos, evitando uma contaminação muito mais drástica.  

Sabe-se naturalmente que este é um período conturbado – quase uma provação –, que nos obriga a sair de casa apenas quando necessário mesmo, e sempre com MÁSCARA, e tentando usar Álcool Gel e água e sabão. Para evitar problemas ainda maiores. O que no entanto parece que muitas pessoas ainda não entenderam. 

É verdadeiramente dramática a situação de milhares e milhares de famílias país afora, inclusive por condições estruturais um tanto complicadas, como resultado da hiper concentração de riquezas do país (com sub -condições de higiene, por exemplo). Sabe-se também  que há uma quebradeira de várias empresas, e um enorme crescimento dos quadros de Desemprego – que já eram terríveis na era Bolsonaro mesmo muito antes do surgimento do Covid-19, por conta do TOTAL DESCOMPROMISSO do presidente com o POVO TRABALHADOR. Ao contrário, a agenda governamental gira APENAS em torno dos interesses do GRANDE CAPITAL que o sustenta

Mas chama atenção o verdadeiro DESCASO e o DEBOCHE com a Saúde Pública. Quem mais deveria dar exemplo, sai de casa muitas vezes SEM MÁSCARA, pegando a mão das pessoas na rua, insistindo com a ideia ridícula da Gripezinha – que no entanto, só no Brasil já MATOU  o correspondente a 3 vezes o número de vítimas fatais da Guerra do Vietnã. E ainda assim, o miliciano – desrespeitando como sempre o povo e o pessoal da Saúde – diz e daí? Diante das tantas mortes, e ainda manda INVADIR HOSPITAIS…coisa que o pobre rebanho cumpre cega e inacreditavelmente. E NINGUÉM vai PRESO!!!!  Prova de que não vivemos um tempo normal. Mas uma ABERRAÇÃO absurda e totalmente ANTIDEMOCRÁTICA.

O quadro aumenta a cada dia, sem trégua. Entendemos que o Ano Letivo pode ser recuperado. Mas a Saúde FÍSICA e MENTAL de Professores e Funcionários e Alunos e suas Famílias podem NUNCA mais recuperar-se frente a um Quadro de DESOLAÇÃO e MORTES nos moldes que presenciamos.

Diante de tudo isso, fica o APELO ao BOM SENSO por parte do senhor Governador, no sentido de fazer com que se PRESERVE o BEM MAIOR, que é a VIDA…porque ela é uma só…e ABSOLUTAMENTE NADA pode ser feito quando ela se apaga.

Resta-nos buscar Proteção: na medida do possível, precisamos FICAR em CASA, evitando AGLOMERAÇÕES. Até a ONDA passar. A VIDA continua sendo o BEM mais VALIOSO. Sem ela, não há mais NADA!!

Fonte: Álvaro Barcellos é Colunista da @radiocompelotas

Deixe uma resposta