Estudantes da UFRJ se mobilizam contra cortes de recursos na Educação

Estudantes da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) realizaram, nesta quinta-feira (9), uma grande assembleia para discutir ações contra os cortes de recursos na Educação anunciados pelo governo de Jair BolsonaroEm nota, a reitoria da UFRJ informou que o governo federal bloqueou 41% das verbas destinadas a manutenção e investimentos da instituição, um total de R$ 114 milhões que seriam usados para despesas de custeio como consumo de água, energia elétrica, contratos de prestação de serviços de limpeza e segurança, e investimentos em obras e compra de equipamentos para laboratórios e hospitais. A UFRJ é a maior e mais antiga universidade federal do país, prestes a completar 100 anos em 2020. 

Na assembleia, os estudantes decidiram aderir à paralisação marcada para o dia 15 de maio por professores e alunos de todo o país. Nesta quarta-feira (8), os docentes da UFRJ já tinham decidido pelo apoio integral a paralisação, que terá atos na Praça XV e caminhada da Candelária à estação Central do Brasil. 

Durante o encontro, os estudantes da UFRJ também decidiram que cada curso da universidade deve pensar em ações de mobilização nos bairros da cidade do Rio de Janeiro, assim como unir esforços para a greve geral marcada para o dia 15 de junho, e ainda fazer eventos pelas ruas da cidade mostrando à população os resultados de projetos de pesquisa e extensão feitos na instituição. 

A UFRJ está entre as cinco melhores universidades nos mais diversos rankings acadêmicos na América Latina. A instituição tem 266 cursos de graduação, 130 cursos de mestrados acadêmico e profissional e 94 cursos de doutorado. Segundo o Ranking Universitário Folha 2018, a UFRJ é a universidade mais inovadora do país, tendo 67 mil estudantes, mais de quatro mil docentes e nove mil servidores técnico-administrativos. 

É ainda a quarta instituição que mais produz ciência no Brasil, com projetos de ponta nas áreas científica e cultural, e tem sob seu escopo nove hospitais universitários, 13 museus, 1.200 laboratórios, 45 bibliotecas e um Parque Tecnológico de 350 mil metros quadrados com empresas de protagonismo nacional e internacional.

Fonte: RBA

Deixe uma resposta