Elas na Ciência registra mais de 170 participantes na UFPel

postado em: Sem categoria | 0

Com mais de 170 participantes, cuja grande maioria foi formada por mulheres, 87 por cento do público presente, a UFPel realizou nestas quarta (25) e quinta-feira (26), o evento Elas na Ciência, uma promoção do Programa de Pós-Graduação em Bioquímica e Bioprospecção do Centro de Ciências Químicas, Farmacêuticas e de Alimentos (CCQFA) da Universidade. O encontro teve como objetivo discutir o panorama geral da atuação das mulheres na Ciência e estimular a inclusão de novos talentos.

Nos debates, realizados na Biblioteca Pública Pelotense e no Auditório da Faculdade de Agronomia, no Campus Capão do Leão, estiveram tópicos como ações dos órgãos de fomento e da própria UFPel para a inclusão de gênero, desafios e perspectivas da equidade de gênero na Ciência e ações inclusivas na educação pública de Pelotas e região.
Conforme a Comissão Organizadora, a realização de um evento com essa temática impacta significativamente na região Sul do Rio Grande do Sul.

A coordenadora do Programa de Pós-Graduação em Bioquímica e Bioprospecção, Márcia Mesko, disse na abertura do evento, na noite da quarta-feira, que o objetivo do encontro era aumentar a reflexão sobre o papel da mulher na Ciência e na Sociedade. Para o diretor do CCQFA, Rui Zambiazi, o setor de Ciência e Tecnologia ainda é um universo predominantemente masculino. “É um desafio uma maior inserção feminina neste meio”, assinalou.

“A situação da Ciência no país compromete não somente as mulheres, mas a todos”. Assim o pró-reitor de Pesquisa e Pós-graduação da Universidade, Flávio Demarco, introduziu sua fala no começo do evento, completando que o contexto nacional é preocupante e difícil. “Somente na diversidade construiremos Ciência e um mundo melhor”, asseverou.

Afirmando que as mulheres são fundamentais para uma sociedade mais justa e equilibrada, o vice-reitor da UFPel, Luís Amaral, representando o reitor Pedro Hallal no ato, disse que a presença feminina, em todos os setores, está deixando de ser silenciosa. Classificou o evento como marcante e lembrou fatos relevantes da história da Universidade que marcaram a luta das mulheres, como a graduação, na UFPel, da primeira agrônoma no Brasil.

“É um evento que dá muita esperança, extremamente positivo”, observou a prefeita de Pelotas, Paula Mascarenhas, que é professora da Universidade. Ela considerou que, mesmo sendo maioria e com a luta tendo avançado, as mulheres ainda têm muitos desafios, entre eles de estabelecer a igualdade de direitos. “Com pensamento livre superaremos o momento difícil, com crença na Ciência, na Democracia, nos Direitos Humanos e na Justiça”, sublinhou.

Saiba mais sobre o evento em https://wp.ufpel.edu.br/elasnaciencia/o-evento/ .

Fonte: UFPel

Deixe uma resposta