Dia do Trabalhador terá atos político-culturais em todo o país

postado em: Sem categoria | 0

Fonte : Sul21

Um dia de luta contra o avanço das terceirizações no Brasil por meio da arte. Com uma farta programação cultural, a agenda das centrais sindicais para este 1º de Maio prometer focar a crítica no PL 4330, que flexibiliza a terceirização no país. Apesar do luto das entidades em função do massacre aos professores do Paraná, o Dia do Trabalhador deverá ser uma manifestação festiva em Porto Alegre.

A concentração está marcada para as 13h, no Largo Zumbi dos Palmares. Em marcha, os trabalhadores seguirão rumo à Usina do Gasômetro, onde serão recebidos com um show da banda Zamba Ben. Entre 14h30 e 15h ocorrem os discursos de representantes dos movimentos populares e estudantis, entre elas União Nacional dos Estudantes (UNE), Movimento dos Trabalhadores Sem Terra (MST) e Movimento dos Trabalhadores Desempregados (MTD).

Para defender a democracia, os direitos trabalhistas, o desenvolvimento e a diversidade a tarde seguirá mesclando atrações artísticas e falas políticas. Também estão previstas apresentações do Bloco da Diversidade, Samba do Irajá, blocos de carnaval, dentre outros. Os grupos se apresentarão em meio às falas dos sindicalistas, lideranças políticas e parlamentares. Estão previstas a participação do senador Paulo Paim (PT), da deputada federal Maria do Rosário (PT), dos deputados estaduais Manuela D’Ávila (PCdoB) e Heitor Schuch (PSB) e do presidente do PDT-RS, Pompeo de Mattos.

O mote da comemoração deste Dia do Trabalhador será a luta que a classe trabalhadora está vivendo contra o PL 4330, que tramita no Senado Federal. O PL das terceirizações e da precarização, recentemente aprovado numa versão que permite a terceirização em atividades fim. A aspiração dos organizadores também é pela ampliação da democracia, que se traduz na reforma política pelo fim do financiamento de campanhas por empresas e contra qualquer tentativa de golpe às instituições democráticas. E ainda o respeito à diversidade, contra a intolerância de gênero, raça ou orientação sexual.

A entrada será gratuita e haverá passe livre nos ônibus. A organização do evento é da CUT, CTB e NCST, em conjunto com a Coordenação dos Movimentos Sociais.

Feministas criticam precarização do trabalho das mulheres

A Marcha Mundial de Mulheres participará da programação do 1º de maio focando no impacto para as mulheres no mundo do trabalho com a redução de direitos impostas pelo PL 4330. Elas pretendem fazer um piquenique a partir das 13h e pintarão uma faixa contra a exploração do trabalho das mulheres.

No Brasil a Consolidação das Leis do Trabalho (CLT) e a constituição de 1988 garantem o direito dos salários iguais de homens e mulheres que ocupem a mesma função. Na prática, segundo dados do Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID), atualmente as mulheres ganham até 30% a menos que homens que trabalham na mesma função.

Em Brasília, MST protesta também contra transgênicos e agrotóxicos

Neste 1° de maio, o dia do trabalhador será também de luta contra a agenda conservadora do Congresso Nacional. Em Brasília, as centrais e movimentos sociais realizam a Marcha d@s Trabalhador@s. A concentração do ato será a partir das 9h, na Torre de TV, e depois seguirá para a Petrobras.

Além das reformas, a plataforma da manifestação é contra as Medidas Provisórias 664 e 665, que dificultam o acesso a abono salarial, seguro desemprego e auxílio doença.

São Paulo terá ato com Lula

Em São Paulo, a CUT, a CTB, a Intersindical, o MST, o MTST, a CMP, a FAF e outras organizações dos movimentos sociais, estudantil e sindical promovem ato também centrado na pressão contra o PL 4330. O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva deve participar da atividade no Vale do Anhangabaú, em defesa dos direitos da classe trabalhadora, da democracia, da Petrobras e da reforma política. O ato está marcado para as 9h30, no centro de São Paulo e terá transmissão pela internet no site do Instituto Lula e da CUT.

Está previsto ato político-cultural com a rapper Pame’lloza, Grupo Mistura Popular e shows de Alceu Valença, Leci Brandão, Rappin Hood, GOG, Thobias da Vai-Vai e Elizeth Rosa.

20140109trabalhadores-contgra-o-projeto-da-terceirizacao-rba

Comentários estão fechados.