Conselho Superior do IFSul delibera posição contrária ao Future-se

postado em: Sem categoria | 0

Na última semana, o Conselho Superior do IFSul deliberou pela contrariedade ao Future-se e aprovou uma nota de repúdio ao programa. Na publicação, destaca que o Future-se não contempla  os princípios da “educação pública, laica, gratuita e de qualidade, com autonomia de pensamento e práticas em suas atividades de ensino, pesquisa e extensão” e a autonomia na gestão financeira e patrimonial. Além disso, critica a construção unilateral do programa. Com isso, são 21 Conselhos Superiores posicionados contrariamente ao Future-se.

O Future-se, afirma a nota, descompromete-se com “o princípio constitucional de financiamento público do ensino federal, expondo-o às instabilidades do mercado financeiro”, ao prever meios privados de autofinanciamento. O Conselho Superior também aponta que o IFSul está ameaçado pelos atuais cortes orçamentários, que precisam ser revertidos para que não haja efeitos mais graves na educação de qualidade oferecida pela instituição. 

Leia na íntegra abaixo:

MANIFESTAÇÃO DO CONSELHO SUPERIOR DO IFSUL SOBRE O “FUTURE-SE”

O Conselho Superior do Instituto Federal Sul-rio-grandense – IFSul manifesta sua posição contrária ao Programa Future-se, apresentado pelo Ministério da Educação (MEC). O IFSul tem como princípio, desde sua criação, trabalhar sempre por uma educação pública, laica, gratuita e de qualidade, com autonomia de pensamento e práticas em suas atividades de ensino, pesquisa e extensão e jamais se furtará a defender, com todos os meios disponíveis, a educação em geral, de forma democrática, com autonomia na gestão financeira e patrimonial. Assim, entendemos que o Future-se não contempla este princípio, pois prevê meios privados de autofinanciamento dos Institutos e Universidades Federais, descomprometendo-se, dessa forma, com o princípio constitucional de financiamento público do ensino federal, expondo-o às instabilidades do mercado financeiro. Além disso, o referido Programa foi construído de forma unilateral, sem promover o debate com as comunidades acadêmicas dos Institutos e Universidades Federais.

Cabe destacar ainda a situação presente que nossa Instituição vem sofrendo com os atuais contingenciamentos orçamentários, que têm ameaçado nossas atividades diárias e que precisam ser revertidos imediatamente, para que não soframos, mais ainda, os seus nefastos efeitos na educação de qualidade que oferecemos às comunidades das cidades onde atuamos.

Considerando o exposto acima, este Conselho repudia o Programa Future-se.

Fonte: IFSul

Deixe uma resposta