212 bolsas de pós-graduação já foram cortadas no RS

Pouco mais de uma semana após o bloqueio de verbas nas universidades federais de todo o país, a Capes (Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior) anunciou corte generalizado em bolsas de mestrado e doutorado. Ainda não foi divulgado o número de pós-graduandos afetados. Só na UFRGS, que conta com três modalidades de bolsas (mestrado, doutorado e pós-doutorado), foram cortadas 133 bolsas da Capes (45 de mestrado, 80 de doutorado e oito de pós-doutorado).

A reportagem da Gaúcha ZH destaca que “por meio de sua assessoria de imprensa, a Capes informou que o recolhimento foi apenas nas bolsas ‘ociosas’, que não estavam sendo utilizadas em abril, reforçando que nenhum bolsista já cadastrado será afetado (leia a resposta na íntegra no fim do texto). A justificativa, conforme representantes das instituições, não tem fundamento.”

O reitor da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), Rui Vicente Opperman afirma: “as bolsas cortadas, que Capes está chamando eufemisticamente de ‘ociosas’, são aquelas em que o aluno do mestrado termina o programa, defende dissertação e perde a bolsa. Então, o programa vai fazer uma nova chamada, com novo processo seletivo, e outro aluno vai entrar e receber o benefício. “Ociosidade” é término de um e começo de outro”

A matéria ainda acrescenta que “só na UFRGS, que conta com três modalidades de bolsas (mestrado, doutorado e pós-doutorado), foram cortadas 133 bolsas da Capes (45 de mestrado, 80 de doutorado e oito de pós-doutorado).”

Fonte: Brasil 247

Deixe uma resposta