VERGONHA: CULTURA SOB ATAQUE! OU COMO VOCÊ ESTÁ SENDO ENGANADO PELO CASO HAVAN! (Por Dan Barbier)

VERGONHA: CULTURA SOB ATAQUE! OU COMO VOCÊ ESTÁ SENDO ENGANADO PELO CASO HAVAN!

Recentemente, diversas mídias sociais espalharam a notícia que o Conselho de Cultura estaria impedindo a vinda das lojas Havan e Zaffari para Pelotas. A informação se espalhou feito rastilho de pólvora e, com toda razão, encontrou eco na população. Afinal, diante da grave crise financeira, empregos são mais do que bem-vindos.

Contudo, a tal notícia é tendenciosa e feita exclusivamente para criar um fato político. Nenhuma informação foi checada para averiguar se havia ou não algum fundo de verdade.  Acabaram usando maldosamente a boa fé do povo criando um zumzumzum  que, no final das contas, serviu para desviar o foco do que realmente está acontecendo e para atenderem certos “interesses” que ainda não foram bem explicados. 

A verdade é que o Conselho de Cultura jamais se posicionou contra a vinda da Havan para Pelotas. Como também jamais se posicionou contra o desenvolvimento da cidade e a geração de emprego e renda ou mesmo contra o Jockey Clube e a modernização do Hipódromo da Tablada. Basta conferir as atas de reuniões. Ao contrário, a atuação do Conselho sempre foi direcionada ao desenvolvimento da cultura como meio também de criar condições dignas de trabalho. Tem-se dito aos montes que a cultura quando bem pensada e articulada por bons gestores públicos transforma-se num instrumento potencializador das dinâmicas de desenvolvimento social e econômico. Os exemplos de cidades inteligentes que tiveram sucesso nessa área existem aos montes por aí. Devemos conversar sobre isso porque estamos e muito atrasados nesse debate.

Mas se o Conselho de Cultura não é contra a instalação da Havan em Pelotas, por que o baixo nível dos ataques? 

Primeiramente temos que entender que o Conselho é um órgão colegiado. Isso significa que ele é composto por diversos membros da sociedade civil, das universidades e do poder público. Daí tentar vincular o Conselho de Cultura com qualquer partido político ou outro tipo de instituição é desconhecer ou deslegitimar sua soberania. Forçar a conexão com esse ou aquele partido, seja do governo, seja da oposição, tem só um objetivo: polarizar a discussão para desviar o foco. Vale lembrar também que a atuação dos conselheiros é feita de forma voluntária, autônoma e independente. Ninguém que está ali recebe um centavo sequer para exercer sua função. São estudantes e trabalhadores abnegados que oferecem sua energia e conhecimento em prol da cidade. O próprio Conselho não tem orçamento nem investimentos públicos próprios. Para o bem da verdade, nem precisa! 

Segundo, a preservação, qualificação e modernização do Hipódromo da Tablada é de interesse do Conselho. Como o é de todos os bens patrimonializados na cidade. Por isso, o Conselho sempre esteve à disposição do diálogo franco e aberto. Colocou-se à disposição da Câmara de Vereadores e da direção do Jockey Clube para colaborar no que fosse necessário. Contudo, é preciso que se diga, que, na pressa de fazer as coisas, fizeram malfeitas e agora tentam achar culpados para que ninguém note suas imprudências e incompetências para tratarem do tema. Erraram, e feio, mas não querem assumir a culpa, pois sabem do prejuízo que causaram. São lobos em pele de cordeiros.

A cultura, por certo frágil e sem estrutura adequada, é um alvo fácil a ser atacada. Não controla os meios de comunicação, nem transita entre os poderosos. Ao jogarem a população contra a cultura, se eximem da responsabilidade de assumir qualquer ônus da confusão que causaram e ainda saem como “bons moços” no final da história. Vamos abrir os olhos! Se há de fato um imbróglio na instalação da Havan no Hipódromo da Tablada e o Ministério Público está investigando o caso é porque a coisa parece ser bem mais séria do que a mera “vontade” de um Conselho frágil como é o da Cultura!  

Não vamos comprar a história pronta. Antes de culpar a cultura por isso ou aquilo, vamos procurar averiguar os fatos, checar bem as informações e entender quem são os verdadeiros responsáveis e a forma como as coisas foram conduzidas até chegarmos nessa situação!

Fonte: Dan Barbier

8 Respostas

  1. A cidade não ganha nada com esta loja, além de ser imensamente caro tudo o q lá vende ainda ter q aguentar aquela estátua imensa e horrorosa. Aqui em Brasília conseguiram proibir a colocação da estátua, graças a Deus. Quanto a loja vive vazia. O boicote é grande. Procurem outros meios de criar empregos , não com a Havan. Lucro zero! A Tablada merece melhorar o bairro mais não com este comércio chinfrim.

  2. Por favor, esclareça: 1- Qual o foco está sendo encoberto? 2- Quais interesses ainda não foram bem explicados? 3- Quais imprudências e incompetências? 4- Quem cometeu imprudências e incompetências? 5- Qual prejuízo foi causado? 6- Quem causou prejuízo? 7- Qual o conteúdo da denúncia do ConCult ao MP? Pergunto tudo isso por que o texto acima está bastante vago. Estou procurando averiguar os fatos, checar bem as informações e entender quem são os verdadeiros responsáveis e a forma como as coisas foram conduzidas até chegarmos nessa situação. 8- Qual situação?

  3. Só vejo o pessoal tirar o rabo da reta… Primeiro o pessoal da cultura e Agora a prefeita… Se não são motivos políticos que estão dificultando a implantação da empresa aqui em Pelotas… O que é? Falem, não guardem para vcs os motivos. E quanto ao comentário anterior da Srª “Maria” gostaria de saber como um comércio “chinfrim” consegue ser a maior loja de departamentos do Brasil…
    NO MEU ENTENDER O MOTIVO É POLITICO E DE MUITO MAL GOSTO, TENTANDO BARRAR O CRESCIMENTO DA CIDADE… ASSIM COMO ESTÃO FAZENDO COM TUDO NO NOVO GOVERNO

  4. De Oliveira

    Não vejo como a instalação da loja seria contra a cultura. Na prática, a empresa utilizará um espaço ocioso da área destinada ao JCP. Nenhum espetáculo hípico sofrerá alteração. De maneira geral, a estrutura física, e organizacional continua a mesma. Com a instalação das duas empresas interessadas, apenas haverá um adequação no traçado da raia, uma adequação ao padrão internacional de corridas. Pesando todos estes pontos, e analisando cuidadosamente o futuro, mesmo que um vislumbre, chego a conclusão que não há motivos culturais para tal denúncia, haja visto que em nada se alterará na estrutura cultural que o JCP exerce perante a sociedade pelotense. Isto posto, reitero que não havendo motivo para desmonte cultural plausível, considera-se apenas, “pirraça”, “oposição por oposição” levando então a crença pura e simples, em motivos pura e simplesmente políticos. Na colocação acima, “Não vamos comprar a história pronta. Antes de culpar a cultura por isso ou aquilo, vamos procurar averiguar os fatos, checar bem as informações e entender quem são os verdadeiros responsáveis e a forma como as coisas foram conduzidas até chegarmos nessa situação!” Mas em momento algum, coloca os motivos, e consequências da qual os senhores chegaram para tal. Em se quer um parágrafo defende a posição com argumentos, e/ou motivos técnicos para tal. Só resta, terminar com uma única palavra. #Lamentável

  5. Achei o comentário da d Maria MT sem propósito, tentando humilhar e nivelar por baixo a Loja Havan. Já comprei várias coisas na Havan de Indaial SC e achei os preços nada maiores que os daqui! Os produtos são bem diversificados e o atendimento excelente.
    Ao ler a matéria no DP deduzi que, os que estão fazendo parte dessa discussão, estão jogando a culpa um no outro. Agora, ninguém assume!!
    Pq aqui , em Pelotas, as coisas têm de ser tão contraditórias e emblemáticas??
    Enquanto Pelotas desdenha, outras cidades estão querendo desenvolvimento, certamente irão receber a Havan de braços abertos!!!
    Luciano Hang não perde nada, perde a população desempregadas, por consequência toda a cidade.Sabendo que Pelotas é ” criadora de casos”, duvido que outras empresas vão querer se estabelecer aqui!! Enquanto os outros progridem, Pelotas fica cada vez mais arcaica e sem atrativos, e a população com baixa auto- estima…coletividade à beira do estresse e depressão. O que Pelotas oferece de bom pra seus filhos??????????

  6. Resumindo… É que na verdade as pessoas são hipócritas…e tem mais, não só a vinda das lojas Havan,mas sim a salvação do Jockey club que está definhando, pessoas e muitas famílias dependem de lá pra sobreviverem.Se vai dar certo o problema é da Havan mas o Jockey club precisa desse sopro pras seguir com suas atividades e assim seguir, com que famílias continuem tirando seu sustento…de uma atividade muito pouca reconhecida ,remunerada e de muito trabalho,pois pra quem não sabe o serviço é de domingo a domingo.

  7. LUCIA HELENA GADRET Rizzolo

    Na hora de explicar as razões exatas do caso, todo mundo sai fora e enche textos de palavras bonitas para se promover. Ainda não me sinto esclarecida, portanto, vou me manifestar sim,, porque seria uma imensa oportunidade de emprego, sem demagogias baratas de quem nada faz pela cidade. Só sabe reclamar há décadas é assim… Chega de hipocrisia! Gente desenvolve gente, não vive à custa de benesses do governo….

  8. A Havan é uma ótima loja, com produtos de boa qualidade e com preços bem. Competitivos. A população pelotense e a cidade perderão muito se a loja não ficar aqui. Mas como costuma acontecer a cidade continua travada para o progresso.

Deixe uma resposta