Valorização da vida em Pelotas: Apoie esta causa!

postado em: Sem categoria | 0

 

Nesta quinta-feira (16), o programa Contraponto realizou uma entrevista, com a enfermeira – Maria de Fátima Farias e a estudante voluntária Samanta Monke, participantes do Comitê de Valorização à Vida, em uma conversa sobre a vinda do CVV à cidade de Pelotas.

O CVV é um comitê Nacional – que oferece apoio emocional e prevenção ao
suicídio, com atendimento voluntário e gratuito a todas as pessoas que querem e precisam conversar, exercendo política de total sigilo. O serviço é feito por telefone (188), email e chat 24 horas todos os dias.

Em vários pontos durante a entrevista foram enfatizados, como a abordagem do suicídio pela sociedade, estudos realizados acerca do assunto e as práticas de prevenção ao suicídio.

Na conversa com Maria de Fátima, ela ressaltou que, o suicídio é um problema de saúde pública e continua sendo um tabu para a sociedade. Samanta complementa que, vários projetos de prevenção e casos de suicídio são silenciados em nosso país, fazendo com que a doença se espalhe como uma “epidemia” e que o assunto se torne menos relativizado e debatido.

Segundo Maria de Fátima, se a pessoa comete o ato é difícil procurar um
motivo que tenha a levado a comete-lo, pois o suicídio é multifatorial, por
isso é preciso grande engajamento da sociedade e entidades na causa.

O CVV possui um canal de comunicação nacional chamado “escuta
amorosa”, capacitado com voluntários treinados que buscam ajudar pessoas dando conselhos ou as vezes somente as ouvindo, levando-as a procurar formas de solucionar seu problema.

Para João Régis da Silva, coordenador nacional da CVV, a evolução
tecnológica e a correria do dia-a-dia, nos leva a um estado de anseio por esses recursos, que nos faz esquecer momentos interpessoais necessários para a sobrevivência humana.

A vinda do Comitê à Pelotas dependerá da mobilização da comunidade, para se organizar e poder montar uma equipe que possa atender às necessidades presentes na cidade, fazendo possível assim a abertura de uma unidade voluntária.

Para esta mobilização, serão realizados eventos que promoverão a discussão do assunto e formação de uma equipe de atuação. Os eventos ocorrerão em dois dias:

Na noite dessa quarte- feira (22) deve acontecer uma audiência pública na
Câmara Municipal de Vereadores do Município para debater assuntos pertinentes à valorização da vida.

Toda ajuda de voluntários e apoiadores é sempre bem-vinda. “O CVV
precisa do engajamento da sociedade para poder se formar” finalizou, Maria de Fátima Farias.

Por Jéssica Alves e Micael Carvalho

 

Deixe uma resposta