Sem previsão para o retorno das castrações

postado em: Cidade | 0

Ainda não tem previsão a retomada do convênio entre a prefeitura de Pelotas e a ONG SOS Animais. Firmado há quase cinco anos, ele foi interrompido em novembro de 2018, dentro do processo de corte de gastos do governo municipal. Com isso, a castração gratuita foi temporariamente interrompida na cidade, bem como o recolhimento de animais por parte do canil municipal.

A parceria teve início em maio de 2014, com o objetivo de intensificar a castração de cães de rua e semidomiciliados em Pelotas. R$ 45 mil era o valor pago mensalmente pelo Poder Público à ONG para que o serviço fosse feito. Com o valor, 500 animais eram operados mensalmente. Só durante o ano de 2018, 2,5 mil castrações foram realizadas até novembro, quando o convênio foi sustado.

No anúncio da interrupção, o Executivo ressaltou a importância do projeto e afirmou pretender retomá-lo ainda no início de 2019 – no ofício enviado à SOS Animais, a secretária de Saúde, Ana Costa, afirmou que a suspensão se daria por no máximo 120 dias, a serem completados em 16 de março. Antes da interrupção, a prefeitura já encontrava dificuldades para honrar o convênio. Os últimos dois meses não foram pagos à SOS Animais. A ONG esperava para segunda-feira (4) o pagamento de um deles, mas isso não aconteceu.

Em contato com o Diário Popular, a secretária de Saúde, Ana Costa, afirmou que o restabelecimento do convênio deve ser feito ainda neste semestre. “A avaliação orçamentária está sendo feita regularmente, a fim de buscar recursos para viabilizar a parceria novamente.” Em relação aos meses em atraso, Ana disse que a primeira parcela já está na fila de pagamentos e deve ser quitada em breve.

Reflexos
De acordo com a presidente da ONG, Helena Aldrighi, 1,5 mil animais deixaram de ser castrados apenas durante o mês de janeiro. “Quantos filhotes nasceram e logo estarão em fase de procriação?”, indaga. “Temos muito o que fazer ainda, mas acreditamos que logo tudo vai se normalizar”, completa. Sem poder realizar as cirurgias de forma gratuita – cada uma tem o valor de R$ 90,00 -, a SOS Animais as tem feito com a cobrança de um valor baixo, tendo em vista a importância de não deixar de castrar cães e gatos.

A chefe do Centro de Controle de Zoonoses, Isabel Madrid, nega, entretanto, que a suspensão das castrações pela SOS Animais tenha resultado em superlotação no canil municipal. Isso porque a interrupção abrangeu também os recolhimentos específicos para o Programa de Controle Populacional. “Por enquanto, dos animais que estão no canil e que por algum motivo ainda não tinham sido castrados, essas cirurgias estão sendo realizadas através do convênio com o Hospital de Clínicas Veterinária (HCV)”, explica.

Por: Leon Sanguiné

FONTE: Diário Popular

Deixe uma resposta