Obras paradas no Ginásio do CMP: Como a demora na entrega atrapalha a escola

postado em: Sem categoria | 0

Com obras há quatro anos, ainda não há previsão de entrega

No dia 29 de março, o professor de Educação Física do Colégio Municipal Pelotense Ari Oscar Borba postou em suas redes socias que as obras do ginásio da escola, que começaram em 2015, se encontram paralisadas. Ele criticou a atual gestão municipal e o impasse na entrega da obra, causando descontentamento entre a comunidade escolar.

 Em 2013, após alguns acontecimentos que colocaram em risco os alunos, os docentes decidiram por pressionar o poder público para tentar resolver o problema. Desde então são quase seis anos com o ginásio fechado, impedindo mais de três mil alunos de atividade físicas na estrutura.

Para o diretor do turno da manhã Carlos Bartz o espaço faz muita falta no dia a dia dos alunos: “O ginásio tem a ver com a história do colégio, a área esportiva sempre foi muito forte no Pelotense, o ginásio é uma parte fundamental, e não tendo ele prejudicou a autoestima dos alunos e dos professores, é um patrimônio nosso, que deixou de ser utilizado e que influenciou negativamente na formação dos alunos, é um espaço importante para a prática desportiva e os projetos escolares, onde havia equipes dos alunos ,foram prejudicados e nós lamentamos muito, pois há uma geração que estudou no Pelotense que praticamente não utilizou o ginásio, aquilo não pertenceu a eles.” , declara o diretor.

 No ano de 2015, a escola estava sem o ginásio e sem suas quadras, ficando assim sem local para as práticas. Em 2016, foram entregues seis quadras. para o professor Ari Oscar Borba, foram tempos difíceis: “A gente se virou, no começo foi bem ruim, começamos em um dos pátios, durantes os dois anos que ainda não tinha a quadra coberta, foi bem critico, a Educação Física foi prejudicada nesse período, com a inauguração das quadras melhorou,mas ainda não supre a demanda de alunos, e nos dias de chuva é um problema, pois não há passarelas de acesso e a quadra coberta molha tudo pelos lados.”

Borba ainda vê de forma negativa toda a situação “O Pelotense tinha uma Educação Física diferenciada e muito se devia à estrutura que se tinha, depois desses anos, o que se nota é que a educação física virou apenas uma recreação ao invés do desporto e das atividades, porque a estrutura diminui, os alunos não têm mais a referência do ginásio, a compreensão do aluno mudou para pior e hoje em dia as equipes esportivas quase não existem mais e a cultura do esporte que tinha vai demorar para voltar a ser como antes”, afirma o professor.

Segundo o professor, foi informado à escola pelos funcionários da construtora que a obra já está em fases finais e o que falta para obra ser entregue é a Prefeitura pagar o que deve. De acordo com a direção do Pelotense, a prefeita está atrás de verba, mas a entrega da obra ainda está sem datas previstas, enquanto isso a comunidade escolar vai para o seu sexto ano sem poder usar o ginásio.

Mariah Coelho (Estudante de Jornalismo e estagiária da RádioCom)

Deixe uma resposta