Morte de São Bernardo: Defensoria investigará servidora suspeita de abandono

postado em: Direitos dos Animais | 0

A Defensoria Pública da União no Rio Grande do Sul (DPU/RS) anunciou na última terça-feira (22) que tomou conhecimento do caso da servidora pública federal suspeita de ter abandonado um cão no bairro Hípica, na Zona Sul, e que o caso será apurado pela Corregedoria do órgão. Ativistas da causa animal, que resgataram o cachorro, informaram que o animal, da raça São Bernardo, morreu também nesta terça-feira devido a maus tratos resultados do abandono.

A suspeita é Técnica em Assuntos Educacionais, vinculada à DPU, e estaria com viagem marcada para curso de mestrado em Portugal. Segundo a DPU, após a apreciação do caso pela Corregedoria, a Administração do órgão terá condições de indicar ou não o cabimento de eventuais sanções administrativas. “A Defensoria Pública da União não coaduna com nenhuma atitude de maus-tratos a animais”, informou a instituição, que pediu que a denúncia seja rigorosamente apurada.

A deputada estadual Regina Becker Fortunati, conhecida pelo ativismo na causa animal, acompanhou o caso do São Bernardo, conhecido como Gordo e, após o óbito do cachorro, protocolou no Ministério Público Estadual denúncia contra a tutora. Ela, que em fevereiro assume como secretária de Trabalho e Assistência Social do Rio Grande do Sul, afirma que a Promotoria de Defesa do Meio Ambiente de Porto Alegre acolheu os documentos reunidos como prova do crime de maus-tratos e abandono.

Outros dois cães com sinais de maus tratos foram resgatados na mesma casa | Foto: Divulgação

Logo após o resgate do cachorro, feito no sábado (18), Regina informou, em suas redes: “infelizmente ele não está comendo e nem conseguindo se levantar”. No dia seguinte, relatou que o cão estava em estado avançado de miíase na pálpebra direita, movimentos involuntários nos quatro membros e cinomose. “A equipe jurídica do meu gabinete parlamentar está empenhada em buscar todas as medidas legais para punir os culpados pelo abandono e maus-tratos”, afirmou a secretária.

No último domingo (20), mais de 80 pessoas, entre vizinhos e defensores dos animais, protestaram contra o abandono de Gordo. Vestidos de preto e munidos de megafone, os manifestantes gritaram por justiça e colaram cartazes na fachada da casa da suspeita de ter descartado o cão e resgataram outros dois cachorrinhos que seriam mantidos pela mesma tutora. Os animais foram levados a uma clínica para atendimento.

“Ambos os animais estavam lotados de carrapatos e com inflamação nos olhos. Ficaram internados para exames, pois há suspeita de cinomose. Conforme os vizinhos, desde sexta-feira, 17, não havia ninguém na casa, sendo frequente os cães ficarem dias sem água e comida”, informam os ativistas.

Fonte: Sul 21

Deixe uma resposta