Grupo RBS e mais 27 grandes empresas são investigadas por suspeita de propina para burlar Receita Federal

postado em: Sem categoria | 0

Fonte : Jornalismo B

O site do jornal Estadão noticiou, na manhã deste sábado, uma lista com 28 empresas – várias delas gigantes do mercado brasileiro e internacional – que estão sob investigação por suspeita de que tenham negociado ou pago propina para “apagar débitos” com a Receita Federal. Entre elas, está o Grupo RBS, maior conglomerado regional de comunicação do país, que controla a maior parte da mídia no Rio Grande do Sul. A investigação faz parte da Operação Zelotes, da Polícia Federal.

Também aparecem citadas empresas como a Gerdau, a fabricante de carrocerias de ônibus Marcopolo, as montadoras Ford e Mitsubishi, os bancos Bradesco, Safra, Santander, Bank Boston e Pactual, a alimentícia BR Foods (dona de marcas como Sadia, Perdigão e Batavo), a construtora Camargo Corrêa, a Petrobrás e a Embraer.

De acordo com a reportagem do Estadão, “o grupo de comunicação RBS é suspeito de pagar R$ 15 milhões para obter redução de débito fiscal de cerca de R$ 150 milhões. No total, as investigações se concentram sobre os débitos da RBS que somam R$ 672 milhões, segundo investigadores”. Ainda segundo a reportagem, os maiores “débitos em discussão” são dos bancos Santander (R$ 3,3 bilhões) e Bradesco (R$ 2,7 bilhões), da montadora Ford (R$ 1,7 bilhões) e do Grupo Gerdau (R$ 1,2 bilhões).

O Estadão afirma que, segundo os investigadores, a fraude pode chegar a R$ 19 bilhões.

fraude

Comentários estão fechados.