Festival ‘É Tudo Verdade’ traz 17 documentários dirigidos por mulheres

postado em: Mídia, Mulheres, Política | 0

Principal festival de documentários do Brasil e um dos mais importantes do gênero no mundo, o É Tudo Verdade deste ano apresenta 66 filmes, entre curtas, médias e longas-metragens de diferentes partes do globo. 

A programação é totalmente gratuita e deve acontecer entre 4 e 14 de abril em São Paulo. No Rio de Janeiro, as exibições serão entre os dias 8 e 14 do mesmo mês.

Mike Wallace Está Aqui, de Avi Belkin, filme sobre a trajetória do célebre jornalista americano e apresentador do programa 60 Minutes, abrirá a programação no dia 3 de abril na capital paulista. Já no Rio, haverá a estreia mundial de Memórias do Grupo Corpo, de Paulo Thiago, sobre o engajado coletivo teatral que, com arte, resistiu à ditadura militar.

Nelson Pereira dos Santos e Claude Lanzmann, cineastas cultuados, ambos mortos no ano passado, serão homenageados na programação, que neste ano é dividida em três seções: competição brasileiracompetição internacional competição latino-americana, além da mostra O Estado das Coisas. O vencedor da competição internacional será habilitado a ser pré-selecionado para o Oscar.

Em meio à extensa programação – que em 2019 traz 11 filmes a mais que no ano passado – as mulheres marcam forte presença. A seguir, você acompanha detalhes das 17 produções dirigidas por mulheres que integram  programação do festival internacional de documentários. Horários e locais de exibição e outras informações completas podem ser acessadas no site do evento.

Dorival Caymmi – Um Homem de Afetos (Brasil, 2019)

Festival 'É Tudo Verdade' traz 17 documentários dirigidos por

Este filme recupera memórias e traz revelações de Dorival Caymmi (1914-2008), o patrono musical da Bahia. Dirigida por Daniela Broitman, a produção tem como base uma entrevista inédita com o artista, gravada em 1998, e será exibida dentro da competição nacional de longas e médias-metragens.

Rumo (Brasil, 2019)

Festival 'É Tudo Verdade' traz 17 documentários dirigidos por

Por meio de entrevistas, animações e imagens de arquivo, Rumo conta a trajetória do grupo artístico homônimo e destaque da chamada Vanguarda Paulista. O filme é dirigido por Mariana Pamplona e Flavio Frederico e será exibido dentro da competição de longas e médias-metragens nacionais.

A Beira (EUA, 2018)

Festival 'É Tudo Verdade' traz 17 documentários dirigidos por

Com direção da cineasta americana Alison Klayman, o documentário A Beiraacompanha o ex-estrategista-chefe da Casa Branca e um dos mentores da atual onda conservadora Steve Bannon durante as eleições legislativas de 2018 EUA. A produção integra a competição internacional de longas e médias-metragens.

Defensora (Israel, Canadá e Suiça, 2019)

Festival 'É Tudo Verdade' traz 17 documentários dirigidos por

Este documentário traça um perfil da advogada israelense Lea Tsemel, que defende palestinos há cinco décadas e já recebeu a insólita alcunha de “advogada do diabo”. Dirigido por Rachel Leah Jones e Philippe Bellaïche, o filme será exibido na competição de longas e médias-metragens internacionais.

Hungria 2018 – Bastidores da Democracia (Hungria, 2018)

Festival 'É Tudo Verdade' traz 17 documentários dirigidos por

O documentário da cineasta Eszter Hajdu retrata a campanha presidencial de 2018 na Hungria, episódio que opôs o primeiro-ministro de extrema-direita Viktor Orbán e o ex-premiê socialista Ferenc Gyurcsány. O filme também será exibido dentro da competição internacional de médias e longas-metragens.

Ziva Postec. A Montadora por Trás do Filme ‘Shoah’ (Canadá, 2018)

Festival 'É Tudo Verdade' traz 17 documentários dirigidos por

A cineasta canadense Catherine Hébert recupera a jornada da montadora israelense Ziva Postec que, entre 1979 e 1985, trabalhou com o documentarista francês (e homenageado do festival neste ano) Claude Lanzmann (1925-2018) no projeto que resultou no filme Shoah. A produção também está na mostra competitiva internacional de médias e longas-metragens.

Nome de Batismo – Frances (Brasil, 2019)

Festival 'É Tudo Verdade' traz 17 documentários dirigidos por

Neste filme, a diretora Tila Chitunda descobre detalhes do passado de seu pai ao conhecer e entrevistar a freira que ajudou sua família a fugir da guerra civil que fez com que milhares de angolanos deixassem suas terras nos anos 70. A produção será exibida dentro da competição nacional de curtas-metragens.

Partir (Brasil, 2018)

Festival 'É Tudo Verdade' traz 17 documentários dirigidos por

Com formato experimental, esta trabalho da documentarista paulistana Sonia Guggisberg apresenta cantos líricos – gravados de forma amadora por uma mulher entre os anos 1970 e 2005 – e colagens de imagens que narram a história de uma família. O filme será exibido na competição de curtas nacionais.

Planeta Fábrica (Brasil, 2019)

Festival 'É Tudo Verdade' traz 17 documentários dirigidos por

A diretora Julia Zakia mostra os últimos momentos de atividade de uma fábrica de chapéus na cidade de Campinas, no interior de São Paulo, que está prestes a ser demolida. O filme também participa da competição nacional de curtas.

Vento de Sal (Brasil, 2019)

Festival 'É Tudo Verdade' traz 17 documentários dirigidos por

Também participante da competição nacional de curtas, o filme Vento de Sal, assinado pela diretora carioca Anna Azevedo registra o trabalho com peixes executado de forma singular na pequena vila portuguesa de Nazaré.

Lily (EUA, 2018)

Festival 'É Tudo Verdade' traz 17 documentários dirigidos por

O filme traça um perfil de Lily Renée, que fugiu da Áustria ocupada pelos nazistas ainda adolescente e, nos EUA, tornou-se um das pioneiras na indústria dos quadrinhos. O filme da diretora americana Adrienne Gruben também será exibido dentro da competição nacional de curtas.

O Mar Enrola na Areia (Portugal, 2018)

Festival 'É Tudo Verdade' traz 17 documentários dirigidos por

Este trabalho da diretora Catarina Mourão constrói o retrato de um sujeito misterioso que circulava pelas praias portuguesas na década de 1950. O ponto de partida dessa história é uma película de 30 segundos. A exibição de O Mar Enrola na Areia ocorre dentro da competição de curtas nacionais.

Hoje e Não Amanhã (Chile, 2018)

Festival 'É Tudo Verdade' traz 17 documentários dirigidos por

O longa-metragem de Josefina Morandé apresenta a história do movimento chileno Mulheres Pela Vida. A partir de 1983, cidadãs das mais diversas profissões e correntes e espectros políticos se reuniram para combater a ditadura no país. O documentário será exibido dentro da competição latino-americana.

Carta a Theo (Bélgica, 2018)

Festival 'É Tudo Verdade' traz 17 documentários dirigidos por

A diretora belga Elodie Lélu faz uma homenagem ao consagrado cineasta Theo Angelopoulos, que morreu em 2012 em decorrência de um atropelamento enquanto trabalhava em um filme sobre a migração e a crise econômica. O longa-metragem será exibido na mostra O Estado Das Coisas.

Marceline. Uma Mulher. Um Século (França e Holanda, 2018)

Festival 'É Tudo Verdade' traz 17 documentários dirigidos por

Neste longa, a escritora e cineasta francesa Marceline Loridan-Ivens (1928-2018) recorda sua história ao lado holandês Joris Ivens, cineasta que dirigiu mais de 40 produções. O filme da diretora Cordelia Dvorák também será exibido dentro da mostra especial O Estado das Coisas. 

Dino Cazzola – Uma Filmografia de Brasília (Brasil, 2012)

Festival 'É Tudo Verdade' traz 17 documentários dirigidos por

Dirigido por Cleisson Vidal e Andrea Prattes, o filme traz à tona o processo de consolidação de Brasília no final dos anos 50 a partir do acervo de 300 horas de imagens feitas pelo cinegrafista e produtor italiano Dino Cazzola. O documentário terá exibição online no site do Itaú Cultural, comentada pelo diretor do festival Amir Labaki. 

Histórias Cruzadas (Brasil, 2008)

Festival 'É Tudo Verdade' traz 17 documentários dirigidos por

Filha do cineasta Joaquim Pedro de Andrade (1932-1988), a diretora Alice de Andrade recupera revisita a obra do pai – marcada por clássicos como MacunaímaOs Inconfidentes e O Homem do Pau-Brasil – e a história de sua família. O longa também será exibido apenas no site do Itaú Cultural, com comentários de Amir Labaki. 

Fonte: Amauri Terto  HuffPost Brasil

Deixe uma resposta