FASCISMO E ATAQUES CONTRA A CULTURA E SEUS AGENTES(Por Álvaro Barcellos)

Como sabemos, historicamente, as bases desses movimentos paramilitares de extrema direita – o NAZISMO e o FASCISMO – sustentam-se no ÓDIO, no PRECONCEITO e na VIOLÊNCIA. Assim, clareando um pouco a origem e a natureza desses movimentos, fica mais fácil se não exatamente entender (porque não é fácil entender tanto desamor, desumanidade e esquizofrenia) ao menos identificar alguns traços. Na segunda guerra mundial, quando eclodiram para o mundo a ultra violência e a intolerância das forças nazistas e fascistas, alguns de seus alvos eram bibliotecas, museus, teatros e escolas – centros de produção e reprodução de saberes e cultura. As famosas fogueiras de livros, quadros entre outros artigos revelam tais violências, intolerâncias e cegueiras com relação a quem pretenda alguma luz a clarear um pouco a dura caminhada humana sobre a Terra.

Bem por essa época, Enrico Berlinguer, dirigente do Partido Comunista Italiano, foi preso pelas milícias de Mussolini. Berlinguer passou a escrever na prisão. Mussolini ordenou aos guardas que recolhessem cadernos e canetas, esbravejando: precisamos fazer com que ele PARE de PENSAR…o que é emblemático. O pintor espanhol Pablo Picasso e a pintora mexicana Frida Kahlo também sofreram perseguições.

Eram preocupantes a ARTE como RESISTÊNCIA e expressões nas comunidades e no mundo. As ondas de ÓDIO vez por outra vem e vão deixando seus vestígios monstruosos de maldades (o que há de mais mesquinho, sórdido e até podre nesses momentos terríveis se revelam). E só não são exatamente cíclicos porque já encontram outro mundo, outros costumes, outros ambientes, outras gentes e outras culturas. São portanto dialéticos: se voltam de algum modo já não voltam ao mesmo mundo de outrora.

Ora, algumas das raízes de costumes, transmissão de histórias, contos, poemas, gravuras, cânticos, danças e encenações vem de povos ancestrais: indígenas, negros, miscigenados, inclusive através de contatos com brancos e outras etnias. O DESENVOLVIMENTO CULTURAL de todo povo é algo que só pode interessar a quem pretenda conhecer um pouco de sua própria história.

O NAZISMO e o FASCISMO vão a tal ponto contra o conhecimento que tratam de conter as ciências – inclusive hoje em dia se vê alguns desses sujeitos questionando se o planeta será mesmo esférico… são os mesmos ignorantes que afirmam que o pai do chamado Socialismo Científico, Karl Marx, teria influenciado a revolução francesa… momento em que Marx sequer havia nascido… No período que ficou conhecido como Macartismo nos EUA vários artistas ficavam sem conseguir trabalho por supostos envolvimentos com grupos de esquerda…em especial no cinema. O dramaturgo e poeta espanhol Garcia Lorca foi duramente perseguido e fuzilado pelas milícias franquista que trabalhavam na linha do nazifascismo.

Outro sujeito duramente perseguido foi o poeta chileno Pablo Neruda – no caso pela ditadura do Chile após o GOLPE que derrubou Allende. O pessoal da contracultura (que questionava fortemente a acumulação de dinheiro e bens que sempre sustentou a caretice do modo de vida americano nos anos 60) que culminaria no movimento hippie de paz e amor foi também alvo do ÓDIO e da GANÂNCIA dos grandes capitalistas que não titubeiam em abraçar o fascismo para garantir suas benécias mesmo em plena guerra. E combateram duramente os cantos de paz entoados pelos hippies. Durante a ditadura no Brasil, inúmeros artistas – da música, da literatura, do teatro, do cinema…- meio que saíram de cena por conta da truculência e da censura vigentes.

Muitos se exilavam para não ser presos, como Gil, Chico, Caetano, Ferreira Gullar, Raul Ellwanger entre outros tantos. A tal ponto chegou a violência e irresponsabilidade dos caras na época que no episódio conhecido como “bomba do Riocentro” estava acontecendo um show coletivo com Chico Buarque, Edu Lobo, Alceu Valença, Boca livre, MPB 4 etc…e o regime com intenção de fazer com que a opinião pública pudesse voltar-se contra os artistas e ou frequentadores, os militares programaram uma bomba para explodir lá dentro, onde estariam “terroristas”… Mas a bomba explodiu antes e matou o militar no carro que o conduzia.

Hoje, a grande bola da vez é a Lei Rouanet que muitos combatem sem sequer suspeitar que NÃO envolve dinheiro. Apenas quando um artista aprova um projeto, se alguma empresa resolver colaborar, abate no imposto de renda… A má vontade com as coisas da cultura por parte de NAZISTAS E FASCISTAS nasce no ÓDIO e volta suas forças contra quem quer que crie nichos de RESISTÊNCIA CULTURAL E POLÍTICA ao cantor o mundo e o amor.

Fonte: Álvaro Barcellos ( Poeta – Compositor e Apresentador do Programa Olhares na RádioCom) .

Deixe uma resposta