DE DIREITOS HUMANOS (Por Álvaro Barcellos)

Quando se fala em Direitos Humanos, alguns setores – os traíras que hoje hegemonizam o poder formal, e o grande capital, especialmente – mostram-se embaraçados a ponto de, por exemplo, aquele deputado monarquista do “partido” de Bolsonaro ter dito esta semana absurdos como “ESCRAVIDÃO faz parte do ser humano” (??????)…ora, uma frase estúpida e infeliz como essa só poderia ser proferida por alguém vinculado aos senhores de escravos, os da CASA GRANDE. Nunca aos escravizados – habitantes da SENZALA.

Mas Direitos Humanos envolvem várias outras questões: no Brasil, nesse momento sinistro, banalizam-se além de aspectos como o do escravismo (e aqui e ali ainda HOJE pipocam várias denúncias de trabalho ESCRAVO, em especial onde imperam coronelismo e ou concentração de poder de modo mais forte). Tempo tão sinistro este, a ponto de o presidente defender horrores como TORTURA. Ou a disseminação de ARMAS, que poderiam ser livremente empunhadas por civis, o que nos faria praticamente voltar ao VELHO OESTE.

Vivemos ainda um tempo em que se atacam ou de desmontam ORGANIZAÇÕES, associações ou sindicatos em que TRABALHADORES possam debater suas situações com seus pares. Tempo em que a própria JUSTIÇA DO TRABALHO sofre ameaça de EXTINÇÃO.

Tempo em que, como forma de contraposição ao chamado EMPODERAMENTO FEMININO, as forças oficiais tratam de calar esse discurso, mesmo sabendo dos níveis ALARMANTES de VIOLÊNCIA DOMÉSTICA (muitas vezes inclusive contra CRIANÇAS vítimas de abuso dentro de casa), e de MULHERES espancadas por maridos COVARDES.

Questões CULTURAIS (o FASCISMO investe pesadamente contra artistas e a própria ARTE), questões ligadas à EDUCAÇÃO (professores ameaçados por fazerem seu trabalho para formar cidadãos melhores e mais críticos e criativos), questões ÉTNICAS ( é da natureza do NAZISMO e do FASCISMO a noção RIDÍCULA e HUMILHANTE de suposta e odiosa “SUPREMACIA RACIAL” onde NÃO-BRANCOS – como negros e indígenas – seriam estupidamente vistos como “inferiores”…)

Vivemos ainda um tempo em que a causa LGBT é duramente atacada, quando seria de se imaginar que cada um CUIDASSE de sua própria vida e todos pudessem viver PLENAMENTE sem preconceitos de qualquer natureza.

A INTOLERÂNCIA – outra marca desse tempo e muito associada ao ÓDIO – recai também sobre estrangeiros – a XENOFOBIA, como se não fôssemos TODOS habitantes do mesmo PLANETA, a quem devemos CULTUAR e CUIDAR…aliás, some-se a isso também a própria questão AMBIENTAL: o consumismo atinge níveis que já beiram o insustentável, ameaçando gerações futuras e as próprias possibilidades da NATUREZA da TERRA.

Como de vê inúmeras são as questões que aqui poderíamos elencar na busca da afirmação dos Direitos Humanos: na construção efetiva daquilo que afirmava o grande compositor chileno, Victor Jara: ele derecho de vivir en PAZ.

Fonte: Álvaro Barcellos – Colunista RádioCom

Deixe uma resposta