CRISE DE CREDIBILIDADE E O JUDICIÁRIO BRASILEIRO (Por Álvaro Barcellos)

Embora haja naturalmente uma série de juízes íntegros e bem intencionados, uma coisa parece pacífica: quando um juiz resolve optar pela postura babaca (especialmente na esfera federal) as coisas se complicam. Porque alguns se consideram intocáveis e pairam acima da lei.

A maioria porém não passa de gigante de pés de barro.
Sem nenhuma dúvida é o caso de Moro – uma figura que começava, alimentada por altos setores midiáticos, – a posar de arauto de uma suposta MORALIDADE.

Não tardaria no entanto este senhor a expor as garras afiadas APENAS contra determinados setores e determinadas figuras públicas. Seu comportamento, inclusive do ponto de vista técnico e ético, era questionado fortemente – e assim voltava seu discurso de modo claramente dirigido apenas e tão somente contra algumas siglas e figuras do campo democrático popular. Portanto, Moro destilava seu ódio contra as esquerdas e o povo trabalhador.

Ainda que tenha começado a ser desmascarado há mais tempo, continuava blindado por uma mídia que, comprometida e viciada (salvo raras exceções), tratava de passar uma imagem a mais positiva possível, por mais que isso por vezes fosse muito difícil, em relação a Moro.

Mas tão famoso era o comportamento do juiz em questão a ponto de ele claramente SELECIONAR denúncias, só acatando – mesmo quando mal fundamentadas ou mesmo infundadas – quando pudesse de algum modo PREJUDICAR as ESQUERDAS, para favorecer os poderosos e as elites econômicas que comandaram o circo armado para manter o próprio poder formal, controlando assim TUDO, inclusive a grossa corrupção da qual historicamente o GRANDE CAPITAL historicamente se serve.

O descaramento que acaba por prejudicar muito a credibilidade INSTITUCIONAL do judiciário, fica mais claro a cada dia. Com contradições muito fundas. Dizia Moro sobre o episódio em que vazavam ligações telefônicas que o problema maior não era ter promovido tal vazamento mas o CONTEÚDO do que era dito. Agora ele foi “vítima” de um vazamento semelhante. E tenta em vão minimizar o próprio CONTEÚDO num discurso confuso e paradoxal…constrangedor.

Como não bastasse, é nomeado para o (des) governo do neonazista que desgraçadamente venceu a eleição, dando agora claramente mostras de seu envolvimento com o GOLPE não apenas contra Dilma mas contra a própria DEMOCRACIA brasileira…caiu a máscara: Moro também é golpista…outro gigante de pés de barro…

Fonte: Álvaro Barcellos ( Colunista do Site da RádioCom )

Deixe uma resposta