Conjuntura da UFPel e mobilização docente

postado em: Sem categoria | 0

Fonte : ADUFPel

O Conselho de Representantes da ADUFPel-SSind, vem trazer aos seus colegas docentes alguns elementos que consideramos pertinentes para contextualizar a conjuntura da UFPel e apontar a necessidade de mobilização docente neste início de 2015.

A política do governo federal de ajuste fiscal e as medidas de “austeridade” adotadas têm trazido enormes prejuízos para a classe trabalhadora, especialmente para os docentes e demais Servidores Públicos Federais. As universidades estão convivendo com um corte de aproximadamente 1/3 de seu orçamento, e algumas universidades federais já adiaram o início das aulas em 2015 devido à impossibilidade de retomar as atividades acadêmicas sem os recursos necessários para seu funcionamento.

Na UFPel, em que pese a imagem de normalidade que a reitoria tenta mostrar, são diversos os problemas gerados pelos cortes de recursos do Governo que estão impedindo o pleno funcionamento da UFPel, tais como a falta de funcionários e a não previsão de concursos para contratação de servidores públicos via RJU, o que já impede o bom funcionamento de diversos setores das unidades acadêmicas, como colegiados de graduação e pós-graduação, museus, secretarias e outros setores; cortes nas despesas de custeio, que tem comprometido o desenvolvimento de atividades de ensino, pesquisa e extensão, inclusive responsabilizando as unidades acadêmicas por gerenciar os poucos recursos existentes; o não pagamento retroativo de promoções e progressões a que os professores fazem jus; a forma arbitrária que os critérios para o desenvolvimento na carreira foram definidos dentro da UFPel, trazendo enormes prejuízos para os docentes. Cabe ainda destacar que diversas unidades ainda sofrem com a falta de água, luz e internet, e as saídas de campo em diversos cursos estão inviabilizadas pela falta de combustível, veículos e motoristas, prejudicando sobremaneira a qualidade da formação dos estudantes.

Diante de todos estes problemas vivenciados no início do ano letivo de 2015, o Conselho de Representantes da ADUFPel chama a atenção dos docentes para que construamos uma forte mobilização para exigir do Governo Federal e da Reitoria soluções para os problemas enfrentados e que estão inviabilizando o pleno funcionamento das atividades acadêmicas. A administração da UFPel não tem exposto publicamente para a comunidade universitária os problemas que estamos enfrentando, antes pelo contrário, adota medidas paliativas e de “austeridade”, recorrendo à privatização e à terceirização de serviços.

Nesse sentido, solicitamos que os docentes apontem junto às unidades acadêmicas a realização de reuniões com os docentes e convidem a ADUFPel para que possamos dialogar e construir a pauta de reivindicações. No dia 25 de março teremos uma assembleia geral em que trataremos desta situação e também da mobilização docente, tendo em vista nossa pauta de reivindicações junto ao MEC e, dependendo do rumo das negociações, iniciarmos a discussão sobre a viabilidade e a necessidade de uma greve já em 2015. A greve pode ser pensada como ferramenta de luta possível caso nossas pautas não sejam atendidas ou ao menos haja efetiva negociação.

Pelotas, 20 de março de 2015

*texto elaborado pelo Conselho de Representantes da ADUFPel-SSind

5446bf747e08a

Comentários estão fechados.