Carreira de Nei Lisboa inspira reportagem e mini-doc no Correio do Povo

postado em: Cultura | 0

 

Em homenagem aos 60 anos do músico Nei Lisboa, a ser completado em 18 de janeiro, o Correio do Povo trabalha na produção de um material especial. Desde setembro, o editor Carlos Corrêa tem trabalhado em uma reportagem que trará um panorama da carreira do compositor, considerado uma referência na cena cultural gaúcha. O resultado será publicado na forma de texto, na edição deste final de semana e, na versão digital, também contará com um minidocumentário.

A matéria relatará a carreira do músico desde antes mesmo da música ter surgido em sua vida e traz, também, entrevistas com outras pessoas que tiveram importância nesta trajetória, como os guitarristas Augusto Licks e Paulinho Supekovia e os músicos Gelson Oliveira e Egisto Dal Santo, além da filha de Nei, Maria Clara, e da viúva de Luiz Eurico, irmão do cantor, morto pela Ditadura Militar.

Ao Coletiva.net, o jornalista contou que a ideia da pauta surgiu durante um show do cantor, há dois anos. Quando o público cantou ‘Parabéns’ ao músico, Carlos entendeu que o aniversário poderia ser um gancho, mas precisaria esperar até que completasse 60. “Tivemos a primeira conversa em setembro e depois nos encontramos mais duas vezes. Tive receio que ele não quisesse falar sobre alguns assuntos mais pesados da sua história, mas ele foi bastante acessível”, relatou Carlos. O assassinato do irmão pelo regime militar, bem como seu envolvimento no acidente de carro que levou à morte de uma namorada estão entre os temas aos quais ele se refere.

A reportagem está dividida em sete capítulos e, segundo o jornalista, aborda temas não tão explorados na carreira do cantor – busca, por exemplo, as razões pelas quais Nei é tão reconhecido no Estado, mas não nacionalmente. As gravações das conversas deram origem a sete vídeos, que estarão disponíveis a partir deste sábado, 12, no site do Correio do Povo. Uma versão única de todos eles, no formato de um mini-doc, com mais de uma hora de duração, também será veiculada. No impresso, a reportagem ocupará seis páginas do caderno + Domingo.

 Fonte: Coletiva.net

Deixe uma resposta