Barraca da Saúde em um Piquenique Cultural

postado em: Sem categoria | 0

O projeto Barraca da Saúde está de volta e sua primeira saída do ano foi no lar de idosos São Francisco de Assis, em Pedro Osório.

No último sábado (23) a Barraca da Saúde, projeto de extensão da Universidade Federal de Pelotas (UFPel), promoveu um piquenique cultural na Associação Beneficente Lar de Idosos São Francisco de Assis, localizado na cidade de Pedro Osório, no qual não somente a saúde física foi zelada, mas também a psicológica.

O evento, que aconteceu ao ar livre, contou com um cronograma musical e avaliações médicas, odontológicas e nutricionais além de dinâmicas em grupo realizadas pelos alunos do curso de Psicologia e também apresentações indígenas com os discentes da aldeia Kaingang.


“O nosso dever como acadêmicos é mostrar a importância do povo indígena no Brasil, pois somos a raiz do povo brasileiro, e há a necessidade de levar este assunto até as pessoas” compartilha Vangri Kaingang. acadêmica de medicina na UFPel

Larissa Escobar, coordenadora discente do projeto, conta que a ideia do piquenique surgiu com base na rotina dos idosos, que passam todo o tempo dentro da casa, com intuito de levar até eles uma proposta diferente, promovendo interatividade entre os alunos e os vovôs.

Para Carla Fraga (49), técnica em enfermagem e funcionaria da instituição há 15 anos, a parceria com o projeto de extensão da universidade é positiva na rotina dos moradores.

“É muito importante o trabalho de vocês pra nós e pra eles. Nós somos em poucos funcionários e a gente não pode propor esse momento [piquenique ao ar livre], não tem como, considerando
nossas tarefas diárias”
acrescenta.

Atualmente o Lar possui 13 funcionários e 27 moradores, tendo a capacidade máxima de 29. A técnica em enfermagem fala ainda sobre a importância da mobilização dos voluntários da Barraca da Saúde em realizar os eventos atendendo as necessidades de cada um.


“Ver coisas que eles não viam há muito anos. A maioria deles esta há anos sem vir aqui no camping, alguns nem conheciam” ressalta a profissional.

A moradora da Associação, Marlene Maria Machado (63), relata que antes da primeira visita da Barraca da Saúde não era comum esse tipo de evento.

“É muita alegria. Nunca ia imaginar ter
isso aqui pra nós”.


A comissão organizadora da Barraca da Saúde se mostrou satisfeita com realização do evento e lembra que é de suma importância o empenho dos demais voluntários para o funcionamento do projeto. Domingos Neto, graduando em Medicina e integrante da comissão organizadora de
comunicação, diz que para a efetivação do evento

“É fundamental que sejam delegados os papeis
de cada curso graduando, doutorando ou docente”

determinados pelos alunos da comissão de organização, que definem os participantes por meio de listas dos alunos voluntários, organizam o
trâmite de transporte e a arrecadação de alimentos, que foram escolhidos com base na dieta já seguida pelos idosos presentes.


Larissa ressalta que o apoio da pró-reitoria de assistência estudantil foi indispensável para a obtenção de recursos para o piquenique, no qual o pró-reitor Mário Renato de Azevedo entrou em contato com a empresa Norte Sul, responsável pelas refeições do RU da Santa Cruz, e obteve
as doações de frutas.


Camila Sebaje (26) estudante de Enfermagem conta da experiência de participar pela primeira
vez do projeto

“Está sendo uma experiência muito boa. Vai além de horas e compromissos
acadêmicos, eu acredito muito em Deus e acho que esse é um pouquinho do que a gente deve
fazer aqui” 
ressalta a profissonal.


“O projeto não aborda somente a saúde do homem, mas também dos animais e abrange mais do que a área da veterinária, adquirindo conhecimento com os outros alunos e com o lugar que
estamos”
completam Vagner Onuczak e Aguimar Filho alunos da veterinária.


É válido ressaltar que os projetos de extensão e cultura universitários têm por finalidade estender o processo educativo, cultural e científico, no qual origina-se a relação entre Universidade e sociedade, viabilizando acesso à informação às comunidades referente a diversas questões
sociais (MENDONÇA e SILVA, 2002).

Jéssica Lopes, Jessica Alves (estudantes de jornalismo e estagiárias na Rádio Com) e Rafaela Dutra

Deixe uma resposta