Ato Unificado dos Servidores Públicos Federais é realizado em Pelotas

postado em: Sem categoria | 0

Fonte : Assessoria ADUFPel

Aconteceu na manhã desta quarta-feira (15), em Pelotas, o Ato Unificado dos Servidores Públicos Federais (SFP), organizado por entidades que se encontram em greve e/ou mobilizadas em defesa do funcionalismo público federal, como ADUFPel, ANDES-SN, CSP-Conlutas, Sindifisco Nacional, Sinasefe, Sindisprev, Sintrajufe e Sindireceita. O ato também teve apoio do SIMP e de coletivos estudantis.

De acordo com o diretor da ADUFPel, Giovanni Frizzo, o ato teve como objetivo dialogar com a população sobre a precarização do serviço público federal e denunciar as medidas governamentais que retiram os direitos dos trabalhadores. “O direito dos Servidores Públicos Federais é o direito da garantia de toda a população a ter serviço de qualidade e atendimento coerente com as necessidades de todos, seja na educação, na saúde, na previdência, no trabalho e em outros serviços públicos. Para isso, o governo não pode cortar recursos orçamentários e impor ajuste fiscal às custas da população”, enfatiza Frizzo.

Greves pelo país 

Atualmente, 41 seções sindicais deflagraram greve em suas instituições federais de ensino, aderindo à greve nacional dos docentes federais convocada pelo ANDES-SN . A greve é resultado dos ataques do governo aos trabalhadores, como a priorização dos investimentos no setor privado em detrimento do setor público, medidas provisórias (664 e 665), projetos de lei que interferem diretamente nos direitos trabalhistas e o “ajuste fiscal”.

Na última reunião do Fórum das Entidades Nacionais de Servidores Federais com a Secretaria de Relações de Trabalho do Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão (SRT-Mpog), o governo não apresentou nova proposta e insistiu no reajuste parcelado de 21,3%, em quatro anos, que não cobre nem mesmo a inflação prevista para o período.

No Rio Grande do Sul, os trabalhadores do Ministério do Trabalho, do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) e os federais da Saúde também estão mobilizados, aderindo à greve nacional convocada pela Fenasps. Os servidores do INSS estão paralisados em 17 estados. Até o dia 09 de julho, o percentual de adesão à greve no Brasil era de 80%. No Rio Grande do Sul, mais de 70% da categoria está paralisada, de acordo com informações do Sindicato dos Trabalhadores Federais de Saúde, Trabalho e Previdência (Sindisprev-RS). A adesão é maior na região de Pelotas e em Ijuí.

A greve iniciada no dia 28 de maio pela Fasubra continua em, pelo menos, 66 instituições federais de ensino no país. No dia 9 de julho, foi feita uma negociação com o Ministério da Educação (MEC) em que algumas mudanças foram obtidas através do diálogo entre o sindicato nacional e o governo. Dentre elas, está o aprimoramento da carreira. Segundo informações do site na FASUBRA, não há objeções do MEC quanto a isso. Sendo assim, será apresentado um cronograma para discussão.

De acordo com as deliberações da 132ª Plenária Nacional do Sinasefe, ocorrida no dia 05/07, os servidores técnico-administrativos e docentes do IFSul aprovaram, no dia 13, em Assembleia Geral, a deflagração de greve a partir do dia 20/07. Juntamente ao ANDES-SN, Fasubra, Fenajufe e Fenasps com suas respectivas greves já em andamento e/ou aprovadas por suas bases, o Sinasefe se incorpora ao movimento paredista do funcionalismo público federal.

55a68e6119397

Comentários estão fechados.