Agência da ONU apresenta ações para monitorar uso da força policial no RS

postado em: Direitos Humanos | 0

O Escritório das Nações Unidas sobre Drogas e Crime (UNODC) apresentou na quinta-feira (7) no Rio Grande do Sul um trabalho sobre monitoramento do uso da força policial e aprimoramento da qualidade da gestão da informação da segurança pública. 

Nos próximos dias, o UNODC pretende iniciar nas corregedorias da Polícia Civil e da Brigada Militar do estado a coleta de dados e indicadores sobre abusos na atividade policial. O objetivo é alimentar o Índice de Compliance da Atividade Policial (ICAP), concebido e desenvolvido pela ONU no estado para mensurar e aperfeiçoar a interface entre polícias e cidadãos dos municípios beneficiados pelo programa.

O trabalho foi feito no âmbito do Programa Oportunidades e Direitos, cofinanciado por Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID), nas cidades gaúchas de Alvorada, Porto Alegre e Viamão. Foto: Palácio Piratini/Laura Guerra

O Escritório das Nações Unidas sobre Drogas e Crime (UNODC) apresentou na quinta-feira (7) no Rio Grande do Sul um trabalho sobre monitoramento do uso da força policial e aprimoramento da qualidade da gestão da informação da segurança pública.

O trabalho foi feito no âmbito do Programa Oportunidades e Direitos, cofinanciado por Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID), nas cidades gaúchas de Alvorada, Porto Alegre e Viamão.

A apresentação ocorreu durante reunião entre o analista de programa do UNODC, Eduardo Pazinato; o coordenador do Observatório Estadual da Segurança Pública, major Roberto dos Santos Donato; a chefe da Polícia Civil do estado, Nadine Anflor; e o comandante geral da Brigada Militar, coronel Mário Yukio Ikeda.

A delegada Nadine Anflor — primeira mulher a chefiar a Polícia Civil do estado e que atuou em iniciativas conjuntas com o Sistema ONU no enfrentamento da violência contra a mulher — destacou o compromisso com o fortalecimento do monitoramento do uso da força e com o aprimoramento das condições de trabalho dos servidores da Polícia Civil.

Já o comandante geral da Brigada Militar, coronel Mário Yukio Ikeda, que é reconhecido nacionalmente por sua experiência na liderança de operações especiais e na segurança de grandes eventos, comentou os avanços e os desafios da estratégia de policiamento comunitário nos territórios do programa no estado. Ele também ratificou o posicionamento da corporação em prol da melhoria da qualidade de vida das comunidades atendidas pelo programa.

Nos próximos dias, o UNODC pretende iniciar nas corregedorias da Polícia Civil e da Brigada Militar do estado a coleta de dados e indicadores sobre abusos na atividade policial. O objetivo é alimentar o Índice de Compliance da Atividade Policial (ICAP), concebido e desenvolvido pela ONU no estado para mensurar e aperfeiçoar a interface entre polícias e cidadãos dos municípios beneficiados pelo programa.

Fonte: ONUBR

Deixe uma resposta