ADUFPel – Último Cine Debate do ano acontece no dia 26

postado em: Sem categoria | 0

Fonte : Assessoria ADUFPe

No dia 26 de novembro, a partir das 17h, será realizada a última edição do ano do Cine Debate na Associação dos Docentes da Universidade Federal de Pelotas (ADUFPel-SSind). Será exibido o documentário “Vala Comum”.

O Cine Debate é uma realização do Comitê pela Memória, Verdade e Justiça de Pelotas e Região, do Grupo de Trabalho História do Movimento Docente da ADUFPel-SSind (GTHMD) e do Instituto Mário Alves (IMA). O resultado é uma atividade audiovisual aberta a discussões e reflexões sobre temas políticos, culturais e sociais. Filmes como “O dia que durou 21 anos“, “Hércules 56“ e “Condor” já foram exibidos nas edições passadas.

De acordo com o segundo secretário e responsável pelo GTHMD na ADUFPel, Júlio César Emboava Spanó, a proposta tem uma boa aceitação pelo público. “Estudar os impactos da ditadura empresarial-militar no Brasil é de suma importância para que sejam dirimidas todas e quaisquer tentativas de fazer com que se instale uma outra ditadura em nosso país”, afirmou.

Spanó explicou que “o principal resultado dos debates é o entendimento de que necessitamos lembrar para nunca mais esquecer e deixar essa memória para as futuras gerações, para que as ditaduras, sejam elas de que orientação política forem, tenham extrema dificuldade de se instalar”.

Parceria

Spanó ressalta a importância da articulação das comissões da verdade nas seções sindicais, para que, em uma ação conjunta, consigam promover movimentos e ações que possibilitem a punição aos responsáveis pelos atos de tortura. “Só assim se consegue fortalecer uma democracia”, complementou.

Vala Comum

Dentre os diversos trabalhos sobre a ditadura militar brasileira, poucos tocam na questão dos “desaparecidos políticos”. Vala Comum, de João Godoy, trata de um episódio praticamente esquecido pela indústria jornalística: as ossadas de militantes políticos que combateram a ditadura e que foram enterradas na vala comum do cemitério de Perus, em São Paulo.

O documentário traz entrevistas com os familiares, além de importantes imagens de arquivo em que os paradoxos da época são expostos. Enquanto os militares tomavam posse prometendo cumprir as leis, mais crimes eram cometidos pelo Estado brasileiro tanto nos porões como nas ruas. Outras passagens interessantes mostram os jingles de ufanismo e as comemorações pelo tricampeonato de futebol enquanto os sacos com ossadas são retirados da vala.

546cba5827c3a

Comentários estão fechados.