‘Acabou a competência universal da República de Curitiba’, diz Carol Proner

postado em: Cultura, Direitos Humanos, Trabalho | 7

A jurista e professora da UFRJ, Carol Proner, considerou um avanço a decisão da Procuradoria-Geral da República (PGR) de, por meio da corregedoria, abrir um procedimento para analisar os atos praticados por procuradores da Lava Jato que tentaram criar um fundo de R$ 2,5 bilhões com dinheiro da Petrobrás, o que foi considerado desvio de dinheiro público e uma afronta à Constituição.

“Acabou a competência universal da República de Curitiba!”, escreveu a professora, que também integra a Associação de Juristas Pela Democracia.

Para ela, a decisão demonstra que “começamos a restabelecer a dignidade soberana”. “Chega de vendilhões!”, enfatizou.

Segundo a professora, o procurador Deltan Dallagnol, idealizador da criação da fundação, “é aquele do power point, o picareta que achincalhou a imagem do Ministério Público a ponto de despertar horror e vergonha entre os pares”. Ele se refere ao material produzido em PowerPoint pela força-tarefa da Lava Jato de Curitiba para acusar o ex-presidente Lula de comandar uma quadrilha. O material, como os próprios procuradores admitiram, foi baseado em convicções, não em provas.

Fonte: Brasil 247

7 Respostas

  1. Será que o supremo agora está tomando o caminho da dignidade??
    Eles têm que ter um posicionamento que o cargo lhes confere e seguir a carta maior do país, a constituição!

  2. Sim vendilhões da Pátria. Fazer um acordo de porão, sem a participação dos órgãos competentes da República, para entregar à justiça dos EUA, informações sigilosas da Petrobrás, que significa a entrega da maior empresa brasileira! Além de todas as chantagens e violações aos direitos fundamentais da pessoa humana. Fora falsos heróis!

  3. Antes tarde do que nunca!

  4. Claudia Mendonça

    O primeiro a gritar “PEGA LADRÃO! é sempre
    o BATEDOR DE CARTEIRA. Ao que parece, quem comanda uma quadrilha é o próprio DD.

  5. Maria Aparecida Cordeiro rosa

    Esperamos que restabeleça a ordem, que a justiça seja justa.

  6. Maria de Fátima das Neves

    É sem dúvida um abrir de olhos, é reparar um sentido que vai por situações desastrosa ,ainda há possibilidade da nossa justiça olhar para as constituições como mandamento que vai além das constituições,a dignidade de um povo nessecita de todos.

  7. Eulalia Radtke

    Os vagabundos fizeram todo tipo de falcatruas. Chogou a hora do basta.

Deixe uma resposta