Negociações com os bancos começam nesta quarta-feira (22)

postado em: Nacional | 0

Após a entrega da minuta de reivindicações da categoria, ocorrida no dia 15 de junho, as reuniões de negociações da Campanha Nacional dos Bancários 2022 começam nesta quarta-feira (22).

A pauta de reivindicações foi definida na 24ª Conferência Nacional dos Bancários, ocorrida entre os dias 10 e 12 de junho, e aprovada em assembleias realizadas por sindicatos de todo o país nos dias 13 e 14 de junho. Entre as principais reivindicações estão o aumento real de 5% (INPC +5%); aumento maior para os vales refeição e alimentação; e questões relacionadas à saúde, como, por exemplo, o acompanhamento dos bancários com sequelas da covid-19.

“Queremos renovar nossa Convenção Coletiva de Trabalho que garante direitos à categoria já faz 30 anos”, disse a presidenta da Confederação Nacional dos Trabalhadores do Ramo Financeiro (Contraf-CUT) e coordenadora do Comando Nacional dos Bancários, Juvandia Moreira, ao lembrar que a primeira CCT nacional da categoria é de 1992.

Mas, além de manter os direitos já presentes na convenção, os trabalhadores querem novas conquistas. “Entre as principais reivindicações está o aumento real, mas também um vale refeição e alimentação que dê para passar o mês, pois o que a gente tem hoje não está dando. A gente também quer discutir a saúde e condições de trabalho para os bancários, que sofrem com esse problema da pressão das metas nas agências bancárias”, completou.

Como a data-base da categoria é 1º de setembro e a reforma trabalhista acabou com a ultratividade (manutenção dos direitos da atual Convenção Coletiva de Trabalho até a assinatura do novo acordo), o movimento sindical alerta para que a categoria se mantenha mobilizada.

Carestia

“Quando a gente olha a inflação, quando a gente olha o valor da cesta básica, a gente vê o quanto ela aumentou entre janeiro de 2020 até agora. O que a gente ganha, com um salário mínimo não é suficiente. E, além da cesta básica, a gente tem que dormir, se locomover, enfim, tem outros gastos de extrema necessidade”, disse a presidenta da Contraf-CUT ao elencar algumas das reclamações dos bancários. “Tem muita gente morando na rua. São 33 milhões de pessoas passando fome no Brasil. Não têm o que comer. Essa é a triste marca que o Brasil chegou, é o retrato do nosso país hoje, e isso precisa mudar!”, completou.

Principais reivindicações.

Na pauta definida pela categoria destacam-se a reposição salarial e nas demais verbas com base na inflação do período entre 1º de setembro de 2021 e 31 de agosto de 2022 (INPC) mais 5% de aumento real. Veja outras reivindicações:

Aumento maior para o VR e VA;

Garantia dos empregosManutenção da regra da PLR, atualizada pelo índice de reajuste;

Fim das metas abusivas;Combate ao assédio moral;

Acompanhamento e tratamento de bancários com sequelas da Covid-19.

Fonte: Contraf-CUT

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.