Entidades denunciam remoção de Centro Estadual de Proteção às Mulheres para um estacionamento

Força-tarefa contra feminicídio, deputados e organizações vão ao Ministério Público Estadual denunciar decisão “absurda”

A decisão do governo Eduardo Leite (PSDB) de remover o Centro Estadual de Referência da Mulher Vânia Araújo (CRMVAM) para o estacionamento do Centro Administrativo motivou protesto e pedido de providências ao Ministério Público Estadual (MPE) contra a medida.

Agora, a Força-tarefa de Combate ao Feminicídio da Assembleia Legislativa se somou ao pedido apresentado ao MPE e assinado pelo Conselho Municipal de Direitos da Mulher (CONDIM) e Fórum Municipal da Mulher de Porto Alegre. As entidades também reclamam do sucateamento da sede original do centro, situado à rua Tuiuty, 10.

A denúncia ao MPE defende que o CRMVAM seja transferido para um local com condições de desempenhar bem suas funções e prestar o atendimento necessário. O governo deve regularizar o serviço telefônico, dando condições para que os profissionais da equipe desenvolvam suas funções.

Nota que houve um acréscimo de 23% no número de feminicídios no estado entre janeiro e novembro de 2021, o que aumenta a importância do bom funcionamento do sistema de proteção às mulheres.

Em entrevista ao Programa Contraponto desta quarta-feira (05/01) em parceria com o Brasil de Fato RS, Ariane Leitão, Advogada e Coordenadora da Força Tarefa de Combate aos Feminicídios da Assembleia Legislativa falou do desmonte das políticas públicas de combate ao feminicídio e do descumprimento da Lei Maria da Penha promovida pelo Governo Eduardo Leite. Assista na íntegra:

Fonte: Brasil de Fato RS, com edição RádioCom Pelotas

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.