Covid-19: especialista em saúde dos EUA defende uso de máscara a partir de 2 anos de idade

Todas as crianças deveriam usar máscara nas escolas, defendeu neste domingo (08/08) o chefe dos Institutos Nacionais de Saúde dos Estados Unidos, Francis Collins. Segundo ele, essa é a melhor forma de lutar contra novos focos da variante Delta e não ter que recorrer ao ensino a distância novamente.  

A máscara “não é nem uma bandeira política, nem um ataque às liberdades”, afirmou Francis Collins, em entrevista ao canal norte-americano ABC neste domingo. “Essa é uma ferramenta médica que salva vidas”, reiterou o especialista. Ele também lembrou que, atualmente, 1.450 crianças estão hospitalizadas em todo o país por causa da covid-19, um recorde, desde o início da pandemia.

A questão do uso da máscara, especialmente nas escolas, suscita um vivo debate nos Estados Unidos, especialmente no estado da Flórida, onde o governador republicano Ron DeSantis ameaça cortar os fundos destinados aos estabelecimentos de educação que seguirem a recomendação.

“As crianças podem transmitir a covid-19, mesmo que elas tenham sintomas leves ou sejam assintomáticas”, indicaram os Centros de Luta e Prevenção de Doenças (CDC, sigla em inglês), em um tweet publicado neste domingo. Segundo a agência de saúde dos Estados Unidos, em locais fechados, inclusive escolas, o uso de máscara deveria ser feito a partir de 2 anos de idade.

“Pedir para as crianças usar uma máscara não é confortável, mas as crianças são resistentes. Se não adotarmos o uso de máscaras nas escolas, o vírus vai se propagar mais rapidamente. Isso vai resultar em focos epidêmicos e as crianças terão de voltar para as aulas à distância” explicou Collins. 

Fracasso na luta contra a covid-19

O chefe dos Institutos Nacionais de Saúde dos Estados Unidos também afirmou que o país “está fracassando” no combate à epidemia. O aumento da presença da variante Delta, altamente transmissível, fez com que o total de novos casos diários chegasse a 118 mil, o maior nível desde fevereiro. 

“Nunca deveríamos ter chegado onde estamos”, disse à ABC. “Sim, estamos falhando”, reiterou. 

O número de óbitos também registraram um aumento de 89% nas últimas duas semanas. Os hospitais infantis de estados como a Flórida se viram “sobrecarregados” à medida que a população mais jovem que não pode se vacinar é cada vez mais afetada. Além disso, milhões de pessoas, especialmente de tendência conservadora, permanecem céticas e rejeitam a vacinação, apesar de estudos que confirmam a segurança desses fármacos.

O país autorizou o acesso à imunização a partir dos 12 anos. Pesquisas que analisam a vacinação de bebês e crianças com idades inferiores estão sendo realizadas, mas ainda não foram finalizadas. Por isso, segundo Collins, é fundamental que a população elegível se imunize contra o vírus o mais rápido possível. 

“Não estaríamos onde estamos com este aumento da Delta se tivéssemos sido mais eficazes na vacinação de todos”, afirmou Collins. “Agora estamos pagando um preço terrível”, concluiu.

Fonte: Opera Mundi

Imagem: Opera Mundi

Deixe uma resposta