Argentina barra todos os voos de e para Brasil, Chile e México

Para marcar o lançamento da campanha contra o feminicídio #NemPenseEmMeMatar, a Themis e as Promotoras Legais Populares (PLPs) realizaram nesta quinta-feira (25) uma ação de pintura de três muros em Porto Alegre com slogans da ação. A campanha promovida pelo Levante Feminista Contra o Feminicídio, frente nacional que inclui as duas entidades portoalegrenses, tem o objetivo sensibilizar, mobilizar e denunciar a escalada dos feminicídios no Brasil.

Os muros foram pintados na Restinga, na Vila Cruzeiro e no Jardim Carvalho, por artistas das próprias comunidades, exaltando a imagem dos girassóis amarelos, símbolo do Levante, que figura como sinal de esperança e celebração da vida. No Jardim Carvalho, a Agência Compromisso e o Coletivo A Vez das Comunidades também participaram da ação. Novas iniciativas serão organizadas pela Themis a cada dia 25 dos próximos meses, como parte da campanha.

A campanha nacional foi lançada em live na manhã desta quinta-feira e o manifesto (change.org/levantefeminista2021) de lançamento já conta com 28 mil assinaturas. No documento, construído de forma coletiva, a frente pontua que a existência de uma “cultura de ódio” direcionada às mulheres brasileiras precisa chegar ao fim, e que a prática do crime de feminicídio “nunca esteve tão ostensiva e extremista” quanto no governo de Jair Bolsonaro e, sobretudo, no contexto da pandemia do novo coronavírus.

Nas próximas semanas, a campanha terá ações pontuais organizadas nos Estados por mulheres que vivem e conhecem a realidade específica do feminicídio em cada lugar. Com a hashtag #NemPenseEmMeMatar, a frente busca atingir um público amplo e disseminar a ideia de que a violência contra a mulher é um problema que afeta não só as famílias, mas a sociedade inteira.

Previsto no Código Penal desde 2015, o feminicídio – assassinato de mulheres apenas por serem mulheres – cresce diariamente no Brasil. No primeiro semestre de 2020, ano em que a pandemia de Covid-19 se alastrou pelo mundo impondo a necessidade de isolamento social, foi registrado aumento de 1,9% deste crime de ódio, de acordo com o Anuário Brasileiro de Segurança Pública. Naqueles primeiros seis meses, foram mortas 648 brasileiras, a maioria negras e vivendo em desigualdade social.

Confira os locais das pinturas em Porto Alegre:

VILA CRUZEIRO
Local: Rua Cruzeiro do Sul, entre as ruas Dona Malvina e Dona Otília
Artistas: Ana Scarceli e Leandro Alves (@anascarceli e @leandroalves.art)

RESTINGA
Local: Praça da Esplanada Restinga (muro da Casa das Irmãs Murialdinas)
Artista: Bina (@binamaisamor)

JARDIM CARVALHO
Local: Av. Antônio de Carvalho, esquina com a Rua 1 da Cefer 2
Artistas: Luiza Câmara (@luizascamaraart) e Amarelo470 (@yellowman470)

Fonte: Sputnik News

Imagem: Sputnik News

Deixe uma resposta