COVID-19: Argentina começará vacinação com a Sputnik V antes do Ano Novo

A entrega à Argentina das doses da Sputnik V, a vacina russa contra a COVID-19, está prevista para ser concluída ainda na segunda-feira (28).

“O presidente Alberto Fernández se reuniu com os governadores e o chefe do governo da cidade de Buenos Aires [Horacio Rodríguez Larreta] informando que na segunda-feira [28] as doses da vacina Sputnik V chegarão em todas as províncias; depois disso, os participantes concordaram que na manhã da terça-feira [29] o processo de vacinação vai começar em todo o país”, diz o comunicadodeste sábado (26).

De acordo com o comunicado do governo, os líderes provinciais agradeceram ao presidente da Argentina durante o encontro, realizado via videoconferência, pela gestão bem-sucedida da obtenção da vacina russa. O presidente argentino também foi às redes sociais para falar sobre o assunto.

As doses da vacina Sputnik V que chegaram da Rússia estarão disponíveis em cada província na terça-feira (29) e às 09h00 [mesmo horário de Brasília] começará a vacinação simultânea em todo o país. Seguimos trabalhando unidos, porque nossa única preocupação é a saúde dos argentinos e argentinas.

Avião das Aerolíneas Argentinas aterrissando com as primeiras doses da vacina russa Sputnik V em Buenos Aires 

A Argentina recebeu o primeiro lote de 300 mil doses da vacina Sputnik V na quinta-feira (24). Mais doses da vacina chegarão às províncias argentinas na segunda-feira (28), em caminhões refrigerados. Nas províncias de Santa Cruz e Tierra del Fuego chegarão de avião, segundo as autoridades locais.

O Sputnik V foi a primeira vacina contra a COVID-19 registrada na Rússia e no mundo. O imunizante tem 92% de eficácia comprovada, com base nos dados dos primeiros 16 mil participantes do ensaio clínico que receberam as duas doses da vacina.

Além da Argentina, outros países latino-americanos já iniciaram ou já têm datas para o início da imunização contra a COVID-19. É o caso de México, Chile e Costa Rica. O Brasil, o país mais impactado pela pandemia na região, em números absolutos de casos e mortes, ainda não anunciou o início da vacinaçãono país.

Segundo os dados da Universidade Johns Hopkins, a Argentina tem hoje 1.578.267 casos de COVID-19 e 42.501 mortes causadas pela doença.

Fonte: Sputnik News

Imagem: Sputnik News

Deixe uma resposta