Mulheres: 59 disputaram as capitais; uma venceu no 1º turno e somente 5 avançaram

postado em: Feminismo, Mulheres, Política, Racismo, VAZAJATO | 0

Das 317 candidaturas às prefeituras das capitais brasileiras, apenas 59, ou 23%, eram mulheres.  No segundo turno, apenas cinco, ou 11% do total de concorrentes que seguem na disputa, são mulheres. Dessas, apenas uma é mulher negra. Cinthia Ribeiro, em Palmas (TO), conseguiu se eleger no primeiro turno. 

::Acompanhe a cobertura das Eleições 2020 do Brasil de Fato::

As duas capitais com o maior número de candidatas eram Rio de Janeiro (RJ) e Curitiba (PR), seis em cada. Na primeira, dois homens brancos foram ao segundo turno, Eduardo Paes (DEM) e Marcelo Crivella (Republicanos). Na segunda, Rafael Greca (DEM) foi reeleito ainda no primeiro turno. 

Entre as mulheres, Cinthia Ribeiro (PSDB), em Palmas (TO), é a única mulher a vencer no primeiro turno. Manuela D’Ávila (PCdoB), em Porto Alegre (RS), Socorro Neri (PSB), em Rio Branco (AC), Marília Arraes (PSB), em Recife (PE), e Delegada Danielle (Cidadania), a única negra, em Aracaju (SE), continuam na disputa.

Segundo o Tribunal Superior Eleitoral (TSE), mulheres são 52,49% do eleitorado apto a votar no país. Em 2016, apenas uma mulher foi eleita à Prefeitura de uma capital brasileira: Teresa Surita (MDB), em Boa Vista (RR). 

Leia também: Analistas veem “derretimento” do bolsonarismo como elemento central das eleições 2020

Amapá

Patrícia Ferraz (Podemos) é a única mulher que disputa a Prefeitura de Macapá (AP). A candidata aparece em segundo nas pesquisas eleitorais e tem chances de ir ao segundo turno. No município, as eleições foram suspensas por conta do apagão da última semana, e ainda não há data divulgada para a disputa do pleito.

Fonte: Brasil de Fato (Rodrigo Chagas)

Deixe uma resposta