Em silêncio, Pazuello estaria envergonhado após episódio da vacina; generais querem que ele saia

Um general que não faz parte do governo Bolsonaro mas conhece Pazuello, disse à jornalista Carla Araújo, do UOL, sob anonimato, que o general Eduardo Pazuello, ministro da saúde, estaria envergonhado com a declaração de Jair Bolsonaro de que ganhou com a suspensão dos ensaios clínicos com a vacina Coronavac.

De acordo com a jornalista, o general amigo de Pazuello disse que “parte expressiva do generalato, incluindo o general Mourão, são da tese de que ele deveria sair do governo”.

“O ministro da Saúde, general Eduardo Pazuello, que vinha sendo apoiado pelos secretários estaduais chegou a anunciar, em uma reunião com imagens públicas, que o governo compraria 46 milhões de doses da vacina e que a imunização produzida pelo Butatan seria ‘a vacina do Brasil’ “. Em seguida o general foi desautorizado por Bolsonaro. 

“Oficialmente, o ministro voltou a trabalhar nesta semana. Ontem e hoje, porém, despachou ainda no Hotel de Trânsito de Oficiais, onde mora em Brasília. Não teve agenda pública e nada falou publicamente a respeito da polêmica que envolveu a suspensão, por parte da Anvisa, dos estudos da Coronavac”, escreve a colunista do UOL.

“Um general, que não faz parte do governo, mas conhece Pazuello, falou à coluna, sob anonimato, que o ministro da saúde estaria ‘envergonhado’. “Parte expressiva do generalato, incluindo o General Mourão, são da tese de que ele deveria sair do governo”, disse.

Fonte: Brasil 247

Imagem: Brasil 247

Deixe uma resposta