RSS TRANSPORTE COLETIVO : Assembleia deverá definir indicativo de greve

postado em: Sem categoria | 0

As “estremecidas” relações entre empresários e trabalhadores do transporte coletivo urbano de Pelotas vão “embalar” a assembleia da categoria na noite desta quinta-feira, na sede do Sindicato dos Trabalhadores Rodoviários de Pelotas(STTRP).

O encontro vai deliberar sobre o dissídio dos trabalhadores, data-base 1 de novembro. E poderá culminar com a votação de indicativo de greve nos serviços.

O entrave nas negociações entre trabalhadores e empresários do setor ocorreu na semana passada quando o Sindicato das Empresas “bateu” o martelo, encerrou as negociações com o STTRP e definiu como contraproposta às reivindicações da categoria o INPC do período, calculado em cerca de 4%.  Na proposta elaborada em assembleia no mês de setembro, os trabalhadores pedem a manutenção de cláusulas conquistadas em outras negociações, reajuste salarial de 4% mais o índice da inflação do período, que somados chegam a aproximadamente 8%.

SERVIÇO corre o risco de paralisação caso prossiga o entrave nas negociações
Fonte: Diário da Manhã

SERVIÇO corre o risco de paralisação caso prossiga o entrave nas
negociações

Na primeira semana deste mês, a prefeitura autorizou o reajuste da passagem urbana, a qual passou de R$ 3,35 para R$ 3,70, reajuste de 10,70%. Na semana passada, o STTRP enviou ofício à prefeita Paula Mascarenhas pedindo a revogação do reajuste na tarifa até que seja definido o acordo entre trabalhadores e empresários.

Na leitura dos rodoviários “é extremamente desproporcional a diferença entre o que pedem os trabalhadores e o que estão ganhando os empresários”.  E sem a continuidade nas negociações, com possibilidade de aumento no percentual de reajuste salarial, alguns sindicalistas dão como certo que na assembleia de hoje à noite vai definir indicativo de greve.

A Redação do Diário da Manhã tentou, em vão, contato com o presidente do Sindicato das Empresas, Jorge Oehlschlaeger, para saber sobre a possibilidade de mudança na contraproposta aos trabalhadores.

 

Fonte: Diário da Manhã

Comentários estão fechados.